Suíça descongela $ 60 milhões do Fundo Soberano de Angola

Luanda, Angola (PANA) - A Suíça descongelou cerca de 60 milhões de um total de 210 milhões de dólares americanos bloqueados no âmbito de uma investigação sobre suspeitas de lavagem de capitais pertencentes ao Fundo Soberano de Angola (FSDEA) e ao Banco Nacional de Angola (BNA, central), revelou sexta-feira a imprensa local.

Citando o gabinete do procurador-geral da Suíça, a fonte indica que a investigação em causa foi iniciada em abril passado, na sequência de denúncias de que ativos do BNA e do FSDEA estariam a ser desviados, a partir de Angola.

No mês seguinte, os investigadores suíços passaram a "pente fino" as instalações da Quantum Global, empresa detida pelo empresário suíço-angolano Jean-Claude Bastos de Morais, o antigo homem forte de José Filomeno dos Santos (Zénu), filho do antigo chefe de Estado  angolano José Eduardo dos Santos, e ex-presidente do Conselho de Administração do FSDEA.

Embora as diligências continuem em curso, o gabinete do procurador-geral da Suíça indica que dos 210 milhões de dólares congelados no âmbito dessa investigação, 60 milhões afetos ao Fundo Soberano já foram libertados.

O descongelamento dessa verba, esclarece a fonte, decorre do facto de as autoridades terem excluído a possibilidade de esse valor poder vir a ser utilizado por terceiros, não autorizados para o efeito.

O seu anúncio seguiu-se a um encontro entre o procurador-geral da República de Angola, Hélder Pitta-Gróz, e o seu homólogo suíço, Michael Lauber, realizado esta semana para preparar a assinatura de um protocolo de cooperação em matéria penal.

A investigação suíça envolvendo ativos do Fundo Soberano e do BNA sucede a investigações similares no Reino Unido e nas Maurícias, também traduzidas no congelamento de milhões de dólares americanos do Fundo Soberano de Angola.

-0- PANA IZ 14julho2018



14 Julho 2018 12:56:47


xhtml CSS