Sudão expulsa pessoal militar tchadiano de Darfur

Cartum- Sudão (PANA) -- O governo sudanês ordenou ao pessoal militar tchadiano da Missão de Manutenção da Paz da União Africana (AMIS) em Darfur (oeste do Sudão) para deixar imediatamente a província, um sinal claro do antagonismo existente entre os dois países.
O Tchad acusa o Sudão de apoiar grupos rebeldes que combatem contra o governo do Presidente Idriss Dèby, mas as autoridades sudanesas negam categoricamente.
"Os representantes tchadianos reuniram-se em El-Fasher (norte de Darfur) e vão partir", afirmou, o porta-voz da UA, Noureddine Mezni, numa declaração no fim-de-semana passado à imprensa em Cartum.
"Deploramos esta decisão e convidamos todas as partes a utilizar o diálogo para resolver os seus diferendos de maneira pacífica", acrescentou.
A força da UA integrada por sete mil soldados tem o seu quartel- general em el-Fasher.
Mal equipada, ela foi incapaz de pôr termo às pilhagens, aos crimes e às violações consideráveis que obrigaram cerca de dois milhões e 500 mil pessoas a fugir das suas casas devido ao assassinato de dezenas de milhares de indivíduos.
As operações da UA não são totalmente eficazes mesmo depois da conclusão do acordo de paz sobre Darfur, assinado apenas por uma das três facções rebeldes.

03 Julho 2006 13:06:00




xhtml CSS