Sudão emite salvos condutos para seus cidadãos emigrantes a serem repatriados da Bélgica

Bruxelas, Bélgica (PANA) – O Sudão emitirá salvos condutos para seus cidadãos emigrantes na Bélgica serem repatriados depois de identificados por agentes de segurança sudaneses especialmente enviados a Bruxelas, anunciou neste fim de semana o secretário de Estado belga para o Asilo e Migração, Théo Franck.

A decisão do Governo sudanês inscreve-se no quadro de um acordo concluído pelos dois países sexta-ferir última em Bruxelas, disse o responsável belga.

Ele fez este anúncio após o seu regresso a Bruxelas, depois de participar na 72ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas em Nova Iorque (Estados Unidos) finda no fim de semana último e onde se reuniu com o embaixador do Sudão na Bélgica, Motrif Siddiq Ali.

Os Sudaneses identificados, errantes no parque Maximilien de Bruxelas, serão repatriados com compensações de partida pagas pela Bélgica, ou seja 250 euros para cada adulto e 125 euros para cada criança.

Porém, associações belgas para a defesa dos direitos humanos protestam contra esta cláusula entre a Bélgica e o Sudão para o repatriamento dos migrantes sudaneses identificados.

O presidente da Liga dos Direitos Humanos (LDH), Alexis Deswael, declarou-se escandalizado  por este acordo rubricado com um país cujo Presidente, Omar El Béchir, objeto dum mandado de captura internacional emitido pelo Tribunal Penal Internacional (TPI) por crime contra a humanidade, nomeadamente o uso de armas químicas contra populações não muçulmanas de Darfour (oeste sudanês).

-0- PANA AK/JSG/FK/DD 30set2017



30 Setembro 2017 17:37:43


xhtml CSS