Sudão deplora retirada do Tchad em Darfur

Cartum-Sudão (PANA) -- O ministro sudanês dos Negócios Estrangeiros, Mustafa Osman Ismail, lamentou a decisão do Tchad de suspender o seu papel de medianeiro entre Cartum e os movimentos rebeldes da província de Darfur, no oeste do Sudão, noticiou quinta-feira a imprensa local.
"Nós (o governo) desejamos que o Tchad mantenha o importante papel que tem desempenhado para fazer avançar a resolução política do conflito de Darfur", declarou Isamail quinta-feira a jornalistas.
Mas "não podemos obrigar o Tchad nesse sentido", sublinhou.
Na terça-feira, um próximo colaborador do Presidente Idriss Deby anunciou que o Tchad iria suspender a sua mediação no conflito de Darfur que teria feito mais de 150 mil mortos e milhões de deslocados, dos quais alguns procuravam refúgio no vizinho Tchad.
"Decidimos suspender a nossa mediação, porque é difícil ajudar um país quando o mesmo apoia uma rebelião no nosso território", declarou Ahmat Allami, conselheiro do Presidente Deby alguns dias depois de o Tchad ter acusado o Sudão de oferecer bases a um grupo de três mil rebeldes tchadianos armados.
Reagindo a este anúncio, Ismail reafirmou entretanto que o "Tchad tem o direito de tomar qualquer medida que pensa poder estabilizar a segurança nas suas fronteiras".
O chefe da diplomacia sudanesa sublinhou ainda que o seu governo vai fazer esforços para encontrar uma solução duradoura para o conflito de Darfur, em colaboração com outros países africanos.

15 Abril 2005 08:30:00




xhtml CSS