Soldados africanos expostos a ataques armados sistemáticos na RCA

Addis Abeba, Etiópia (PANA) - A força de manutenção da paz africana encarregada de estabilizar a República Centroafricana (RCA) é objeto de ataques sistemáticos e pesados por parte de milícias locais, indicou um alto responsável desta força.

O chefe da Missão Internacional de Apoio à República Centroafricana (MISCA), general Jean-Marie Mokoko, declarou, quarta-feira, que a morte dum soldado de paz congolês em Boali, a cerca de 80 quilómetros ao norte de Bangui, capital, faz parte dos ataques sistemáticos cometidos nas últimas semanas na sua maioria pelos membros da milícia antibalaka (cristãos).

Este incidente conduziu a um contra-ataque da MISMA que causou a morte de 12 membros antibalaka dos quais um comandante, afirmou o general Mokoko.

Este último ataque segue-se ao de domingo passado contra um cortejo da MISCA durante o qual três pessoas ficaram gravemente feridas, das quais duas num estado crítico após terem sido baleadas na capital, Bangui.

Um outro grupo de soldados da paz que guardavam um estabelecimento de saúde na capital foi agredido à granada, revelou o general Mokoko, declarando-se consternado por estas agressões que vitimaram um soldado da paz em serviço para o restabelecimento da estabilidade num Estado africano.

O soldado congolês falecido viajava com três outros companheiros quando foram baleados, precisou.

Em Bangui, um outro grupo de soldados da MISCA foi igualmente alvejado em Bimbo, um bairro de Bangui, pouco depois do cerco de Carrefour, local famoso da cidade capital.

"Não há nenhuma justificação para estes ataques contra os Capacetes Azuis desdobrados na RCA para ajudar os Africanos a resolverem a sua crise", indignou-se o general Mokoko.

Informou que pelo menos 21 soldados da paz da MISCA foram mortos nas últimas semanas.

-0- PANA AO/MA/AKA/IS/MAR/DD 27março2014

27 Março 2014 11:38:32




xhtml CSS