Sociedade civil defendem adoção da lei contra discriminação racial na Tunísia

Túnis, Tunísia (PANA) – Organizações da sociedade civil tunisina denunciaram esta semana a agressão racista perpetrada no fim de semana passado contra duas raparigas congolesas, reafirmando o apelo lançado à Assembleia dos Representantes do Povo (Parlamento) para  se acelerar a adoção do projeto de lei fundamental relativa à criminalização da discriminação racial.

Num comunicado publicado esta semana, refere-se que três jovens congoleses, dos quais duas raparigas e um rapaz, foram apunhalados sábado último à noite por um jovem tunisino em Túnis, ferindo gravemente as duas raparigas que logo depois foram transportadas para um centro hospitalar da capital, e que o rapaz ficou ferido a nível os seus braços.

Um campo de protestos foi implantado na avenida Bourguiba em Túnis pelas organizações da sociedade civil para denunciarem a discriminação racial.

Foram expostas na ocasião fotos que lembram a decisão de Ahmed Bey (príncipe tunisino abolicionista de 1837 a 1855) tomada em 1846 e que pôs definitivamente termo à escravatura,  enquanto se difundia um vídeo sobre testemunhos de Tunisinos que propõem soluções para este flagelo, incluindo a relativa à adoção da lei sobre a criminalização da discriminação racional.

Outras propostas relativas à execução de programas de educação sobre o respeito por outro foram também feitas nesta ocasião.

-0- PANA AD/IN/IS/FK/DD 28dez2016

28 Dezembro 2016 15:39:06


xhtml CSS