Situação confusa na chefia do Estado na Guiné-Conakry

Conakry- Guiné-Conakry (PANA) -- A situação mantém-se confusa na chefia do Estado na Guiné-Conakry desde a evacuação para Marrocos, sexta-feira, do presidente da Junta militar no poder, Moussa Dadis Camara, ferido a tiro pelo chefe da sua guarda próxima e ajudante de campo, tenente Aboubacar "Toumba" Diakité, constatou a PANA.
O comunicado divulgado pelo major Kétèti Faro, ministro secretário- geral da Presidência da República, indicando que a chefia interina da Junta passou a ser assumida pelos membros do Conselho Nacional para a Democracia e Desenvolvimento (CNDD) e do Governo não ajudou a clarificar a situação.
Segundo fontes contactadas pela PANA, uma reunião convocada pouco depois da partida do capitão Dadis Camara para Marrocos pelo coronel Moussa Keïta, ministro e secretário permanente do CNDD, não conseguiu obter um consenso para designar um chefe interino.
O primeiro vice-presidente do CNDD e ministro da Segurança, general Mamadouba Toto Camara, acompanhou o chefe da Junta para Marrocos, enquanto o general Sékouba Konaté, ministro da Defesa e próximo de Dadis Camara, teve de suspender a sua missão no Líbano para regressar sábado de madrugada a Conakry.
Desconhece-se o papel do primeiro-ministro, Kabiné Komara, que dirigiu sexta-feira uma reunião extraordinária do Conselho de Ministros.
No termo desta reunião, ele limitou-se a convidar os Guineenses à calma e à serenidade e exortou os seus colegas à solidariedade.

05 Dezembro 2009 15:17:00


xhtml CSS