Situação cada vez mais complicada para Gbagbo, diz imprensa ivoiriense

Abidjan, Côte d'Ivoire (PANA) – O braço de ferro entre Laurent Gbagbo e Alassane Ouattara, duas personalidades que reivindicam a vitória da segunda volta das presidenciais de 28 de Novembro último, persiste e arrisca-se a custar caro ao antigo chefe de Estado, segundo a imprensa nacional que se baseia nomeadamente no apoio maciço da comunidade internacional a Ouattara.

«UA (União Africana) e África do Sul apoiam Ouattarara», intitula na sua manchete «Le Patriote», próximo da Coligação dos Republicanos (RDR), partido de Alassane Ouattara).

Saudando as decisões da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), tomadas no termo da sua cimeira de emergência sobre a Côte d'Ivoire, a 7 de Dezembro corrente, o partido de Ouatara diz-se confiante quanto à situação do processo nomeadamente em matéria de reforço da sua legitimidade.

«Estão a ser tomadas medidas para reforçar o poder de Alassane Ouattara. Lenta mas seguramente, com tacto e mestria, o Governo do Presidente Ouattara aumenta o seu reconhecimento e a sua legitimidade nos planos nacional e internacional», escreve le Patriote.

Títulos como «Jacob Zuma e a UA a Gbagbo: Deixe o Poder», ou ainda «Uma diplomata de Gbagbo expulsa de Bruxelas» do diário independente «L'Expression» traduzem a engrenagem em que se encontra Laurent Gbabgbo na visão da imprensa ivoiriense.

«Comunidade internacional pode fazer partir Gbagbo?», interroga-se o diário L'Inter.

Esta questão não deve colocar-se, segundo  L'Expression que escreve que « O tempo joga contra Gbagbo. Ele esperou uma falta de apoios a Alassane. Mas Laurent Gbagbo, criticado por todas partes, deverá fazer face à perda total do controlo financeiro e diplomático, enquanto o patronato ivoiriense ameaça não pagar os salários se a situação continuar até 15 de Dezembro ».

Por seu turno,  o jornal "Nord Sud Quotidien"   titula na sua manchete «Recusa de deixar poder, Gbagbo Armadilhado».

Apesar deste braço de ferro, os discursos nos dois protagonistas, divulgados pela imprensa nacional, apelam para a calma.

«Gbagbo tranquiliza as populações do Sul-Comoé: Tudo será resolvido », titula o pró-governamental «Fraternité Matin ».

O Soir Info inscreve-se também nesta dinâmica, lembrando as declarações de Alassana Ouattara que comentam as resoluções da CEDEAO antes de exortar Gbagbo a deixar o poder.

«Desejo que a razão acabe por prevalecer e que Laurent Gbagbo aceite a vontade do povo. Enquanto o povo ivoiriense se pronunciou claramente, a sua intransigência apenas pode expor o nosso país a perigos suscetíveis de o fragilizar mais ainda », indica o antigo primeiro-ministro.

Alassane Ouattara que se diz engajado na voz duma saída pacífica desta crise pós-eleitoral, indicou ao jornal : «Por mim, mesmo nestas circunstâncias difíceis que mancham a imagem do nosso país, eu fico firme e resolutamente ao serviço da paz e da coesão nacional ».

-0- PANA GB/TBM/SOC/MAR/IZ 10Dez2010

10 Dezembro 2010 11:26:42




xhtml CSS