Sindicatos da Guiné Conakry prosseguem com greve

Conakry- Guiné (PANA) -- O valor monetário do ponto indiciário passou de 185 em Dezembro de 2005 para 210 em Janeiro de 2006 e de 219 em Janeiro de 2006 para 240 em Março corrente na Guiné Conakry devido à greve de cinco dias observada pelos sindicatos do país exigindo "um aumento substancial dos salários".
Esta informação foi prestada sexta-feira pelo chefe da Divisão de Saldos no Ministério das Finanças e Economia, Souleymane Cissé.
O governo desembolsa mensalmente 16 biliões de francos guineenses (FG) - $ 1= quatro mil e 500 FG - a favor de 51 mil e 250 funcionários registados no Ficheiro Geral Administrativo (FGA) contra cinco biliões e 500 milhões de FG para 25 mil e 700 agentes contratuais, indicou Cissé.
Mas estas declarações foram rejeitadas pela Inter-Central que exigia inicialmente que estes valores fossem multiplcados por quatro, tendo depois pedido que fossem multiplicado por três durante as negociações em curso entre o governo, o patronato e os trabalhadores, soube-se de fonte segura.
Mas o executivo guineense propôs um aumento de 20 pontos indiciários que, a seu ver, representa uma subida compreendida entre 10 mil e 25 mil FG, de acordo com a mesma fonte.
No termo duma reunião realizada quinta-feira entre o representante do governo, Fodé Bangoura, e os operadores económicos, o governo lançou um novo apelo para a retomada do trabalho esta sexta-feira em todo o território nacional.
Apesar deste apelo, divulgado várias vezes pela imprensa pública, a retomada do trabalho não é totalmente efectiva na capital guineense onde apenas alguns táxis e bombas de gasolina estão a funcionar.

03 Março 2006 20:38:00


xhtml CSS