Sindicatos burkinabes iniciam greve de 48 horas contra carestia da vida

Ouagadougou, Burkina Faso (PANA) – A Unidade de Ação Sindical do Burkina Faso (UAS), principal coligação de organizações sindicais do país, iniciou esta terça-feira em todo o território nacional uma greve geral de 48 horas para exigir melhores condições de vida e de trabalho.

Através desta greve, a UAS quer levar o Governo a  satisfazer as preocupações (antigas e novas) dos trabalhadores  que não receberam respostas satisfatórias por parte das novas autoridades, indicaram os responsáveis num comunicado transmitido à PANA.

Trata-se, entre outros, da diminuição dos preços  dos hidrocarbonetos em pelo menos 150 francos CFA e da disponibilidade do gás butano em todo o país, do aumento dos salários dos trabalhadores,  do compromisso de  intentar  ações judiciais contra os autores e patrocinadores de crimes de sangue e de crimes económicos antes e durante a insurreição que expulsou Blaise Compaoré do poder em outubro último.

Na sua plataforma reivindicativa, os sindicatos exigem também do Governo de transição uma «justa solução » para o problema dos trabalhadores que perderam os seus empregos na sequência  da destruição das suas empresas durante a insurreição de finais de outubro último.

-0- PANA NDT/JSG/FK/IZ 17fev2015

17 Fevereiro 2015 09:57:11


xhtml CSS