Sindicatos burkinabes ameaçam paralisar Administração

Ouagadougou,Burkina Faso (PANA) – A principal coligação dos sindicatos burkinabes anunciou quinta-feira uma greve geral para 8 de abril próximo, em todo o território nacional, para exigir uma redução dos preços  dos combustíveis, enquanto o Governo de transição decretou terça-feira última uma nova diminuição de 25 francos CFA (um dólar americano equivale a 594 francos CFA).

O vice-presidente da Coligação Nacional de Luta contra o Custo de Vida, Corrupção, Fraude, Impunidade e para as Liberdades (CCVC), Chrizogone Zougmoré, anunciou, durante uma conferência de imprensa, uma marcha-comício e uma greve de 24 horas a 8 de abril próximo.

O Governo baixou 25 porcento o preço do litro do combustível, a 19 de janeiro último, mas uma redução julgada « módica »  pelos sindicatos, que lançaram um ultimato durante uma greve geral, exigindo uma diminuição de 150 francos CFA sobre o preço do litro de gasolina.

Na terça-feira passada, o Governo de Transição burkinabe procedeu, « de forma unilateral », segundo os sindicatos, a uma nova diminuição de 25 francos CFA sobre o preço do litro de gasolina.

Os sindicatos afirmam que, tendo o custo do barril de petróleo diminuído, o preço da gasolina azul devia passar de 750 francos CFA para 467,33 francos CFA,  ou seja, uma redução de 282, 67 francos CFA; e do gasóleo de 656 francos CFA para 408,75 francos CFA, uma redução de 247,25 francos CFA.

Eles denunciaram igualmente a multiplicidade dos impostos que o Estado recebe sobre os produtos petrolíferos e pediram a sua revisão em baixa.

Para Zougmoré, a diminuição dos preços dos combustíveis deve ter um impacto sobre o transporte para relançar a economia.

No total, o Governo diminuiu em 50 porcento o preço do litro de gasolina desde  19 de janeiro último,  que está largamente aquém das expetativas das populações, segundo Zougmoré.

-0- PANA NDT/JSG/FK/IZ 06março2015

06 Março 2015 17:51:52


xhtml CSS