Sindicato apresenta queixa por agressão de jornalistas em campanha eleitoral no Senegal

Dakar, Senegal (PANA)   - O Sindicato dos Profissionais da Informação e Comunicação do Senegal (SYNPICS) declarou-se preocupado com o tratamento dado aos jornalistas durante a campanha eleitoral para as eleições presidenciais de 26 de fevereiro corrente no Senegal e anunciou uma queixa contra os autores de atos de agressão.

Num comunicado divulgado quarta-feira, em Dakar, o Sindicato indica ter sido informado sobre « casos de agressão, ameaças de morte e confisco de material de alguns repórteres » no mesmo dia em Thiés, a 70 quilómetros de Dakar, durante um comício das Forças Aliadas para a Vitória (FAL, 2012) que apoiam a candidatura do Presidente cessante, Abdoulaye Wade.

O SYNPICS afirma no seu comunicado ter apresentado uma queixa contra os militantes das FAL que se teriam dedicado a « agressões selvagens » contra repórteres.

Adverte "todos os Estados-Maiores" da sua firme vontade de tomar medidas energéticas, a fim de que a liberdade de imprensa não seja obstruída de qualquer forma, durante a campanha eleitoral.

Por outro lado, o SYNPICS informa ter colocado à disposição  dos jornalistas e técnicos que deverão cobrir a campanha eleitoral um número de telefone  para contactar uma equipa de alerta em caso de necessidade.

A campanha para as eleições presidenciais de 26 de fevereiro iniciou-se domingo último para terminar a 24 do mesmo mês.

Pelo menos 14 candidatos  estão em competição neste escrutínio dos quais o Presidente cessante, Abdoulaye Wade, que disputa um terceiro mandato consecutivo.

-0- PANA SIL/JSG/FK/IZ 09fev2011

09 Fevereiro 2012 13:54:52


xhtml CSS