Sete intervenções esperadas na abertura da cimeira da UA

Sirtes- Líbia (PANA) -- Uma maratona de mais de meia dúzia de discursos de altas entidades africanas e estrangeiras marca esta segunda-feira a sessão solene de abertura da quinta cimeira ordinária da União Africana, soube a PANA de fontes próximas da Comissão.
Primeiro a pronunciar-se, o coronel Muamar Kadafi, cujo país acolhe pela primeira vez uma cimeira ordinária da organização panafricana, deverá centrar a sua intervenção nos mecanismos para acelerar o processo da integração do continente tal como inspirado desde 9 de Setembro de 1999 pelas cimeiras extraordinárias convocadas até agora sob sua iniciativa, na sua cidade natal de Sirtes.
Este discurso de boas-vindas do país anfitrião deverá ser seguido, de acordo com o programa preparado nas vésperas pelos ministros africanos dos Negócios Estrangeiros, por um esboço do orçamento das actividades apresentado diante da conferência pelo presidente da Comissão da União Africana, o maliano Alpha Oumar Konaré.
Os hóspedes estrangeiros como Amr Moussa, secretário-geral da Liga Árabe; Jose Manuel Barosso, presidente da Comissão da União Europeia; Mahmoud Abbas, presidente da Autoridade Palestiniana; e Kofi Annan, o secretário-geral das Nações Unidas, vão pronunciar- se igualmente durante a sessão.
Este exercício oratório inter-africano, por um lado, e entre África e os seus parceiros, por outro lado, deverá ser encerrado, de acordo com o programa do Conselho Executivo, pela intervenção do chefe de Estado nigeriano Olusegun Obasanjo, presidente em exercício da UA, até à sexta cimeira de Addis Abeba, em Janeiro de 2006.
As medidas de segurança sucessivamente reforçadas enquanto se aproximava a hora da abertura da cimeira esta segunda-feira de manhã, acabaram por transformar o complexo Ouagadougou que deve albergar os trabalhos num verdadeiro bunker com acesso vedado nas últimas 48 horas aos táxis e aos autocarros não expressamente autorizados.

04 Julho 2005 19:51:00




xhtml CSS