Senegal instado a proteger jornalistas gambianos exilados em seu território

Dakar- Senegal (PANA) -- Os Repórteres Sem Fronteira (RSF) convidaram as autoridades sengalesas a porem termo à campanha de intimidação levada a cabo pelos Serviços de Informação da Gâmbia contra jornalistas gambianos exilados no Senegal, soube a PANA segunda-feira de fonte oficial.
Segundo os RSF, o ministro do Interior do Senegal, Ousmane Ngom, precisa de ser informado sobre esta situação antes que se lhe atribua um rapto ou um assassinato.
Para ilustrar a sua declaração, a organização de defesa dos jornalistas citou o recente caso de Yahya Dampha, um jornalista exilado em Dakar após ter escapado a uma tentativa de rapto por indivíduos supostamente pertencentes aos Serviços de Informação da Gâmbia.
A estas denúncias se juntam igualmente casos de "ameaças e controlo de jornalistas exilados no Senegal" nestes últimos anos, designadamente Musa Saidykhan, ex-chefe de redacção e director de publicação do semanário privado The Independent, que foi alvo de vários telefonemas anónimos em Dakar.
Isatou Jagne, ex-empregada do diário The Point, sediado em Banjul, a capital gambiana, é testemunha ocular do assassinato em Dezembro de 2004 do jornalista gambiano, Deyda Hydara, correspondente da Agence France Press (AFP) e dos RSF na mesma metrópole, recebeu igualmente chamadas telefónicas anónimas.
"Pensamos que estes incidentes repetitivos e este clima de medo imposto pelos Serviços de Informação da Gâmbia no território senegalês são bastante inquietantes para que as autoridades senegalesas tomem medidas idóneas com vista a resolver esta situação", concluíram os Repórteres Sem Fronteiras.

17 Março 2008 22:04:00




xhtml CSS