Senegal exige desculpas do Canadá por falta de respeito a Abdou Diouf

Dakar- Senegal (PANA) -- O ministro senegalês dos Negócios Estrangeiros Cheikh Tidiane Gadio pediu sábado ao governo canadiano para apresentar desculpas "sinceras e públicas" na sequência duma revista corporal infligida ao ex-Presidente senegalês, Abdou Diouf, no aeroporto de Toronto, onde não houve ninguém para o acolher.
Numa carta enviada ao seu homologo canadiano Peter MacKay, cuja cópia foi transmitida à PANA, Gadio escreveu: "Senhor ministro, teriamos relativizado este incidente se, em vez de apresentar simples lástimas, o vosso governo tivesse agido com prontidão para diligenciar um inquérito e se o vosso primeiro-ministro, "a voz mais autorizada", tivesse apresentado pessoalmente desculpas sinceras e públicas ao Presidente Diouf, a todos os membros da OIF (Organização Internacional da Francofonia), ao povo senegalês assim como a todos os seus compatriotas africanos.
"Este incidente grave, contrário às normas diplomáticas internacionais, vai de encontro à consciência da comunidade internacional em geral, de África e do Senegal em particular.
A personalidade do lesado e o seu percurso excepcional de grande servidor do Estado explicam amplamente a onda de indignação que aumenta no mundo", escreveu o chefe da diplomacia senegalesa.
Gadio reagia ao tratamento imérito de Abdou Diouf, actual secretário- geral da OIF aquando da sua chegada ao aeroporto de Toronto.
Deslocou-se ao Canadá para participar nos trabalhos da conferência ministerial da Francofonia sobre a prevenção dos conflitos e a segurança humana agendados para 13 a 14 de Maio na cidade de Saint- Boniface.
Ao evidenciar o percurso elogioso do ex-chefe do Estado, o diplomata senegalês sublinhou que ele trabalhou com um outro estadista excepcional (Abdoulaye Wade, actual Presidente do Senegal) para "oferecer ao nosso país e a África uma alternância democrática, pacífica e saudada no mundo".
"Foi no tal estadista que a Francofonia depositou a sua confiança para restruturar a sua acção e os seus objectivos de promoção dum humanismo francófono universal, construtor da paz, da solidariedade, da dignidade humana, da cooperação económica reforçada e da boa governação", ressaltou o ministro senegalês dos Negócios Estrangeiros, lamentando todavia que Diouf fosse objecto, no Canadá, dum acolhimento imérito e condenado no mundo.
Abdou Diouf, 71 anos de idade, Presidente do Senegal de 1981 a 2000, foi eleito secretário-geral da OIF a 20 de Outubro de 2002, sucedendo assim ao egípcio Boutros Boutros-Ghali.

14 Maio 2006 16:55:00




xhtml CSS