Senegal defende valorização de experiências tradicionais

Dakar- Senegal (PANA) -- A ministra senegalesa da Pesquisa Científica Yaye Kène Gassama Dia defendeu segunda-feira em Dakar uma verdadeira a valorização da biodiversidade através duma confrontação e duma validação pelos meios modernos do saber e da experiência tradicionais.
A governante senegalesa, que se exprimia na abertura da terceira Conferência Internacional sobre a Iniciativa de Desenvolvimeno das Academias das Ciências de África (ASADI III), estimou que desenvolver uma capacidade científica endógena é fundamental a fim de contribuir para o esforço mundial de acumulação de conhecimentos.
"Devemos igualmente transformar os conhecimentos científicos em produtos inovadores capazes de ter um impacto positivo e duradouro sobre a economia africana", disse ainda a ministra senegalesa.
Na definição das políticas macroeconómicas, prosseguiu, os especialistas aperceberam-se de que África não integrava suficientemente o potencial existente em matéria de conhecimentos e de experiência tradicionais.
"África não poderá fazer a economia duma abordagem, duma diligência inovadora ligando de maneira intrínseca a pesquica às necessidades das comunidades e à procura social" para aumentar as oportunidades de criar produtos de pesquisa úteis para a sociedade", sublinhou.
Gassama indicou a esse respeito que, desde 2001, os países africanos estão a trabalhar numa estratégia regionalista, mas também africana, com vista a desenvolver a integração dos conhecimentos tradicionais e reduzir a pobreza utilizando instrumentos da ciência e da tecnologia.
Sublinhou que África está a atingir o objectivo de 1 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) em matéria de investimento em investigação/desenvolvimento numa norma internacional situada entre 1 por cento e 4 por cento.
Além disso, uma reflexão está em curso sobre o crescimento da mobilidade dos cientistas, dos professores e dos investigadores, bem como sobre uma utilização judiciosa da comunidade científica africana da diáspora para fazer da fuga de cérebros um ganho de cérebros.
Esta terceira Conferência Internacional sobre a Iniciativa de Desenvolvimento das Academias das Ciências de África, que vai terminar quinta-feira próxima, decorre sob o lema "Água e Saúde", sob a égide da Academia Nacional das Ciências e Técnicas do Senegal e das Academias Africanas com o apoio da Academia das Ciências dos Estados Unidos, da Empresa Real do Canadá e do Centro de Pesquisa para o Desenvolvimento Internacional (CRDI).

13 نوفمبر 2007 19:26:00


xhtml CSS