Seis traficantes de marfim condenados a cinco anos de prisão no Congo

Brazzaville, Congo (PANA) – Seis traficantes de marfim, de nacionalidades maliana, guineense e congolesa foram condenados, em Ponta Negra, principal centro económico do Congo, a cinco anos de prisão por posse e tentativa de comercialização de uma ponta de marfim de mais de 10 quilogramas, soube a PANA esta segunda-feira, em Brazzaville, junto do Ministério do Ambiente.

Estas penas são acompanhadas de 10 milhões de francos CFA de indemnização, num veredito  proferido após uma instrução de mais de um ano.

Os condenados foram detidos numa operação de agentes das águas e florestas, com o apoio da Gendarmaria Nacional e graças às informações e à ajuda do Projeto de Apoio à Aplicação da Lei sobre a Fauna Selvagem (PALF).

Trata-se duma rede bem organizada de traficantes de marfim que se estende até Angola e cujos membros partilhavam os papéis para o funcionamento do seu tráfico ilegal.

O seu objetivo era enriquecer-se com o abate de elefantes, uma prática que  causa uma proliferação de armas de guerra que servem para este massacre.

O elefante faz parte das espécies animais protegidas pela lei congolesa que proíbe a sua importação, exportação, posse e trânsito no território nacional.

-0- PANA MB/TBM/FK/IZ 16jan2018

16 january 2018 10:19:48


xhtml CSS