Segunda Guerra do Golfo em destaque na imprensa mauritaniana

Nouakchott- Mauritânia (PANA) -- O ataque aliado contra o Iraque atraiu a atenção dos jornais mauritanianos esta semana, com o "Le Calme" a descrever a acção liderada pelos Estados Unidos naquele país do Golfo como uma "Cruzada contra o Iraque".
O jornal, que traz na primeira página uma fotografia de manifestações a favor do Iraque em Nouakchott, criticou Washington e Londres por terem tomado uma medida unilateral "na sequência de debates infrutíferos nas Nações Unidas e das longas e inúteis inspecções de armamento".
"Quem é o próximo depois do Iraque?", indagou um outro diário, "L'éveil", destacando uma "série de manifestações realizadas em Nouakchott desde o desencadeamento da guerra".
O jornal salientou que as autoridades iraquianas tinham cooperado com a resolução 1441 das Nações Unidas, denunciando "a intransigência da administração Bush", que considerou ter tido desde sempre a intenção de levar a cabo a guerra.
O "Nouakchott-Info" traz ainda fotos de protestos de rua na capital mauritaniana, sublinhando que "pela primeira vez, alguns membros do governo e os Presidentes das duas Câmaras do Parlamento juntaram-se aos manifestantes".
O jornal estatal "Horizon" baseou-se em notícias das agências noticiosas, relatando "a deterioração da situação humanitária em Basra" e a intensificação dos bombardeamentos sobre Bagdad e outras cidades do norte e sul do Iraque.

28 Março 2003 11:50:00


xhtml CSS