Secretário-geral da OIF defende instituição de visto francófono

Paris, França  (PANA) – O secretário-geral da Organização Internacional da Francofonia ( OIF), Abdou Diouf, considerou quarta-feira em Paris que o «visto francófono», destinado a facilitar a livre circulação nos países membros da organização, erai «um bom projeto» que não deve ser abandonado apesar de numerosos obstáculos.

"A livre circulação é um problema muito antigo. Ele colocou-se para os artistas, os pesquisadores, os estudantes e os homens de negócios ou os técnicos", reconheceu Abdou Diouf, durante uma entrevista à PANA nas vésperas da 14ª Cimeira  da Francofonia prevista de 12 a 14 de outubro em Kinshasa, a capital da RD Congo.

"Cada Estado tem objetivos ao mesmo tempo demográficos, políticos e económicos diferentes dos dos seus visinhos ou dos países afastados", sublinhou o antigo chefe de Estado senegalês.

Ele exortou os países membros da Francofonia a "não abandonar o seu sonho" dum visto francófono, lembrando que a Europa demorou para chegar ao espaço Schengen.

«O visto francófono é um bom projeto que não deve ser abandonado, mas a realidade vai impor-lhe a sua lei ainda muito tempo» acrescentou Abdou Diouf.

Homens de negócios, artistas e inteletuais pretendem interpelar os chefes  de Estado e de governo que estarão presentes na Cimeira de Kinshasa sobre as barreiras à livre circulação no espaço francófono.

Vários convidados ao Fórum Mundial da Língua Francesa, organizado em julho passado no Quebec (Canadá), foram impedidos de assistir ao encontro por falta de visto, apesar dos convites devidamente assinados pelos organizadores.

-0- PANA SEI/AAS/DIM/TON 03 outubro  2012

03 Outubro 2012 17:23:00




xhtml CSS