Secretário-Geral da ONU preocupado com situação em Darfur

Nova Iorque- Estados Unidos (PANA) -- O Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-Moon, expressou a sua preocupação pela deterioração da situação na província ocidental sudanesa de Darfur.
"A situação de abusos dos direitos humanos, massacres de civis e outras atrocidades em Darfur é totalmente inaceitável", declarou Ki- Moon em entrevista à PANA em Nova Iorque.
O novo Secretário-Geral das Nações Unidas prometeu encontrar-se, logo após a sua instalação em Janeiro próximo, com o Presidente sudanês, Omar El Bashir, para o persuadir a aplicar o acordo concluído durante a última reunião da União Africana (UA) e da ONU sobre Darfur realizada em Addis Abeba (Etiópia).
Ki-Moon considerou deplorável que progressos não tivessem sido alcançados após a assinatura deste acordo e pediu ao Governo sudanês e às partes em conflito para observar um cessar-fogo e pôr termo aos massacres a fim de favorecer a paz e a segurança na conturbada província de Darfur.
O novo responsável da ONU pediu igualmente aos amigos do Sudão e à comunidade internacional para envidar mais esforços para encorajar o Governo a ser "mais aberto e sincero, ao tratar de questões que afectam Darfur".
Prometeu "engajar-se directa e pessoalmente" para persuadir o Sudão a aceitar os capacetes azuis da ONU em Darfur.
Interrogado sobre o programa nuclear iraniano, disse que a questão tem importantes implicações regionais e internacionais e exortou as autoridades iranianas iniciar negociações com vista a chegar a uma solução rápida graças ao diálogo.
Prometeu trabalhar para uma resolução pacífica e rápida do impasse sobre o dossier nuclear norte-coreano que, sublinhou, exacerba a tensão entre alguns países.
"Farei o meu possível para resolver de maneira pacífica a questão do dossier nuclear norte-coreano, mas igualmente a do Irão e outras questões que ameaçam a paz e a segurança mundiais", notou.
Ki-Moon prestou juramento como oitavo Secretário-Geral da organização internacional durante uma cerimónia impressionante organizada quinta- feira última na Assembleia Geral da ONU.
O diplomata sul-coreano entrará oficialmente em funções a 1 de Janeiro de 2007 em substituição do ganense Kofi Annan cujos dois mandatos de cinco anos terminam a 31 de Dezembro de 2006.

18 Dezembro 2006 14:07:00




xhtml CSS