Secretário-Geral da ONU aprensenta plano de acções para África

Addis-Abeba- Etiópia (PANA) -- O Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, apresentou segunda-feira o seu plano das acções para África aos chefes de Estado e de Governo reunidos no quadro da Oitava Cimeira da União Africana (UA) em Addis Abeba e anunciou a criação dum grupo de trabalho sobre África.
Ki-moon anunciou igualmente a concessão ao Burundi de 25 milhões de dólares americanos para financiar a sua reconstrução pós-confltio, saudando ao mesmo tempo os recentes esforços de pacificação da RD Congo e notando que a iniciativa unificada entre a União Africana e as Nações Unidas permitiu alcançar progressos.
O Secretário-Geral da ONU afirmou que convocará nos próximos dias um grupo de trabalho sobre África integrado por peritos, decisores e doadores que estarão encarregues de defender a mobilização de recursos suplementares a fim de combater os efeitos da mudança climática, que provocam a fome no continente africano.
A equipa de peritos sobre África reunir-se-á antes de Março próximo para examinar outras questões que afectam o continente em 2007 que vai apresentará à Cimeira do G8 prevista para Junho próximo, indicou o Secretário-Geral do organismo universal.
O grupo de peritos tem como missão elaborar um plano das acções a fim de apoiar as iniciativas práticas visando acelerar os progressos em 2007 e 2008.
O plano estará disponível antes de Junho próximo.
"Devemos assumir os aspectos regionais dos conflitos em África.
As populaçoes de Darfur (oeste do Sudão) devem envolver-se na busca de solução", declarou o Secretário-Geral das Nações Unidas diante dos líderes africanos.
Indicou que tem como prioridade velar por que África seja libertada dos conflitos civis e dos impactos da mudança climática, defendendo uma forte participação do continente no Mecanismo das Nações Unidas para um Desenvolvimento Próprio (MDP) que permite aos países obter recursos financeiros para projectos ambientais.
A UA e as Nações Unidas trabalham no quadro duma parceria conjunta para o reforço das operações de paz nas zonas de conflito através da partilha de recursos.
As duas organizações assinaram um acordo de colaboração sobre os esforços de manutenção e reforço da paz.
"Tenho conscência de que a unidade de objectivo que motivou a busca da independência contribuirá para reforçar a unidade no seio dos países que acabam de sair duma situação de conflito", afirmou o responsável onusino.
África alcançou notáveis progressos no domínio da luta contra os conflitos, sublinhou.
"Não se trata apenas duma questão de sobrevivência e segurança para as pessoas cujas vidas foram directamente afectadas.
Trata-se igualmente duma condição para construir melhores vidas", sublinhou Ki-moon.
Constatou, por outro lado, que o seu engajamento a favor de África se manifestou na sua recente decisão de nomear como adjunta Asha-Rosa Migiro, ex-ministra tanzaniana dos Negócios Estangeiros.
"Estou feliz de ter como adjunta uma africana dotada de qualidades excepcionais", notou.
África apoiou a candidatura de Ban Ki-moon ao posto de Secretário- Geral da ONU.
Ki-moon explicou que a sua decisão de reservar uma das suas primeiras deslocações internacionais a África tinha igualmente como objectivo agradecer aos líderes africanos pelo apoio concedido à sua candidatura.
"Prometi fazer o possível para mobilizar a vontade política dos líderes do Mundo e das instituições financeiras internacionais, bem como dos outros actores e dos Governos africanos para alcançar os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio(ODM)", afirmou.
O Secretário-Geral das Nações Unidas prometeu igualmente reforçar e reformar o aparelho onusino no sentido reclamado pela UA, que pretende construir um continente livre da fome e das tragédias provocadas pelos factores climáticos.

30 Janeiro 2007 12:15:00




xhtml CSS