São Tomé e Príncipe aplica mais de $ 52 milhões para combater pobreza

São Tomé- São Tomé e Príncipe (PANA) -- São Tomé e Príncipe vai encaixar mais de 52 milhões de dólares americanos resultantes da mesa redonda com parceiros internacionais de cooperação das ilhas com vista ao combate contra a pobreza, soube-se de fonte oficial segunda- feira em São Tomé.
De acordo com a nota conclusiva da mesa redonda realizada encerrada no fim-de-semana em São Tomé, os doadores internacionais comprometeram-se a contribuir com 25 milhões de dólares americanos nas infraestruturas e energia, 20 milhões na educação e formação, bem como sete milhões num programa sobre boa governação.
Dentre as contribuições internacionais, realçam-se as disponibilidades manifestada pelo Banco Mundial com mais de 6,2 milhões de dólares americanos, pelo Banco Africano de Desenvolvimento com 4,8 milhões, pela União Europeia com 4,2 milhões, por Portugal com 4 milhões, pelas Nações Unidas com 3,2 milhões, por Taiwan com 3 milhões e pela França com um milhão.
Os fundos anunciados pelos doadores serão utilizados pelas autoridades de São Tomé e Príncipe nos próximos três anos, de acordo com os projectos inicialmente estimados em mais de 121 milhões de dólares americanos.
Dentre os projectos do sector de infraestruturas há um de melhoramento da qualidade de energia, estimado em 31 milhões de dólares americanos, o plano de construção de estradas avaliado em 14 milhões e a captação e distribuição de água orçado em quatro milhões de dólares.
Na educação, dentre os projectos elaborados, destacam-se o programa do alargamento de escolaridade básica estimado em 13,3 milhões de dólares americanos, a reforma do ensino básico orçado em 9,2 milhões e a formação do ensino superior com custo a rondar os 4,2 milhões de dólares.
No quadro do reforço da governação, o desenvolvimento do sector privado é apontado como prioritário num projecto estimado em quatro milhões de dólares americanos, a par dos programas de reforma de administração pública e da justiça, avaliados em quatro e três milhões respectivamente.
Na mesa redonda realizada em Dezembro passado em Bruxelas (Bélgica) São Tomé e Príncipe obteve mais de 60 milhões de dólares americanos na sequência dos compromissos assumidos pelos doadores internacionais.
Com uma dívida externa a rondar os mais de 300 milhões de dólares americanos, São Tomé e Príncipe possui pelo menos 54 por cento dos seus cerca de 130 mil habitantes a viver abaixo do limiar da pobreza com menos de um dólar americanos por dia.

11 Dezembro 2006 12:28:00


xhtml CSS