Ruanda ameaça retirar tropas de Darfur

Kigali- Ruanda (PANA) -- O chefe de Estado ruandês, Paul Kagamé, expressou quarta-feira a sua determinação em retirar as suas tropas ruandesas em missão de manutenção da paz da União Africana (UA) na província ocidental sudanesa de Darfur, assolada por um conflito mortífero diante da passividade da comunidade internacional.
"Se os problemas correntes persistirem e a comunidade internacional não manifestae a sua vontade de intervir na busca duma solução pacífica, as tropas ruandesas poderão eventualmente retirar-se desta província", declarou o líder ruandês em conferência de imprensa no Palácio Presidencial em Kigali.
Kagamé disse que o seu Governo está a avaliar a situação de segurança e humanitária nesta província ocidental do Sudão antes de tomar uma decisão final sobre esta questão.
"Estamos a avaliar a situação da missão de manutenção da paz em Darfur e vamos pronunciar-nos nos próximos dias sobre a decisão tomada", afirmou o Presidente ruandês.
Segundo ele, a situação com que se desdobra o contingente de manutenção da paz da União não pressagia o prosseguimento das suas operações.
"Se a presença das tropas ruandesas em Darfur não dá nenhum resultado, não vejo o objectivo de permanecer" na província, considerou Kagamé.
O contingente ruandês das Forças de Manutenção da Paz da União Africana em Darfur está estimado em dois mil soldados num total de sete mil militares enviados a esta província assolada por um conflito mortífero há mais de três anos.
Estima-se em dois milhões e 500 mil o número de pessoas deslocadas nesta província, que possui cerca de seis milhões de habitantes, de acordo com fontes humanitárias.

14 Março 2007 11:43:00




xhtml CSS