Ritmo de crescimento económico continua a abrandar em Cabo Verde

Praia, Cabo Verde (PANA) - O ritmo de crescimento económico em Cabo Verde continuou, no primeiro trimestre de 2018, a sua tendência de abrandamento, apesar da “conjuntura económica favorável”, segundo dados mais recentes do Instituto Nacional de Estatística (INE) a que a PANA teve acesso na cidade da Praia.

Na análise feita pelo setores do atividade económica, relativamente ao comércio em estabelecimentos, os dados do INE mostram que o indicador de confiança “registou o valor mais alto dos últimos trinta e três (33) trimestres consecutivos, evoluindo positivamente face ao mesmo período no ano de 2017, com a conjuntura económica favorável no setor”.

No entanto, neste primeiro trimestre de 2018, o setor apresentou “insuficiências da procura e  dificuldades financeiras” como principais constrangimentos.

Já no que respeita ao comércio em feira, o INE destaca que o “indicador de confiança contrariou a tendência descendente do último trimestre e evoluiu positivamente face ao trimestre homólogo. A conjuntura no setor é favorável”.

Em relação ao setor turístico, principal motor da economia cabo-verdiana, os dados recolhidos indicam que, nos primeiros três meses do ano, “o indicador de confiança manteve a tendência descendente do último trimestre".

No entanto, o indicador situou-se acima da média da série e manteve-se ao mesmo nível relativamente ao trimestre homólogo, sendo também a conjuntura no setor é favorável, revelou o INE.

Para empresários do setor do turismo, de acordo com a mesma fonte, “o excesso de burocracia e regulamentações estatais” são os principais obstáculos a um melhor desempenho.

No setor turístico residencial, “o indicador de confiança registou o valor mais alto da série, evoluindo positivamente face ao trimestre homólogo, com a conjuntura favorável. Porém,  a insuficiência da procura e dificuldades no acesso ao crédito bancário foram os principais obstáculos do sector no decorrer do primeiro trimestre 2018”, de acordo com empresários

Nos transportes, o clima de confiança, diz o INE, está em queda, tendo contrariado a tendência de crescimento dos últimos trimestres, situando-se abaixo da média da série.

Contudo, o indicador evoluiu positivamente face ao trimestre homólogo, embora a conjuntura no setor seja desfavorável mas a concorrência e dificuldades financeiras foram os principais constrangimentos do setor no decorrer do terceiro trimestre, de acordo com empresários,.

Outro dos setores analisados foi o da construção, onde também o indicador de confiança começou a cair neste primeiro trimestre de 2018 mas evoluindo, ainda assim, positivamente em relação ao mesmo período no ano passado.

No entanto, concluiu o INE, “a conjuntura no setor é desfavorável, tendo os empresários apontado a deterioração das perspetivas de vendas e o nível elevado da taxa de juros como sendo os principais constrangimentos do setor.

Por último, a análise do setor da indústria transformadora levou o INE a revelar que o  indicador de confiança contrariou a tendência ascendente do último trimestre, mantendo o mesmo nível da média da série, evoluindo favoravelmente face ao trimestre homólogo.

Ainda assim, aponta o INE, a conjuntura no setor é favorável.

“Segundo empresários, as frequentes avarias mecânicas nos equipamentos e no equipamento insuficiente foram os principais constrangimentos do setor no decorrer do primeiro trimestre 2018”, conclui o INE.

-0- PANA CS/DD 17abril2018

17 Abril 2018 12:40:30


xhtml CSS