Revisão do programa de Vacinação em Cabo Verde

Praia- Cabo Verde 20 Fev (PANA) -- O Programa Nacional de Vacinação (PAV) em Cabo Verde vai sofrer uma profunda revisão de modo a melhor adaptá-lo a nova realidade que o país vive neste domínio, soube-se quarta-feira na cidade da Praia de fonte segura.
Para o efeito, responsáveis do sector da saúde, do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e da Organização Mundial da Saúde vão estar reunidos durante dois dias na Praia num encontro que deverá fazer recomendações sobre o programa, que serão depois incluídas num plano plurianual do PAV, a ser elaborado proximamente.
Os participantes ao encontro irão igualmente validar os dados de um inquérito nacional realizado em Julho 2002 sobre o PAV, o qual aponta para "uma melhoria da cobertura vacinal em Cabo Verde entre 1999 e 2002".
De acordo com uma fonte da organização do encontro, a revisão que se vai fazer agora do PAV é a primeira realizada no país com essa envergadura e "trata-se de um exercício feito a pedido das autoridades sanitárias cabo-verdianas".
O PAV foi iniciado em Cabo Verde em 1977, integrado no projecto de protecção materno-infantil e planeamento familiar.
Segundo um documento apresentado na reunião que decorre na Praia, o PAV registou uma aceleração entre 1984 e 1986.
Contudo, na década de noventa verificou-se um progressivo decréscimo das taxas de cobertura vacinal por todos os antígenos.
A taxa de crianças menores de um ano completamente vacinadas que em 1990 era de 80 por cento, passou a 66 por cento em 2000.
Entretanto, já em 2001 verificou-se um ligeiro aumento dessa taxa para 68,6 por cento, indica o documento.
O PAV contempla a vacinação das crianças com menos de um ano contra a tuberculose, a difteria, a tosse convulsa, o tétano, a poliomielite e o sarampo e, a partir de Janeiro de 2002, a hepatite B.

20 Fevereiro 2003 11:37:00




xhtml CSS