Resultados definitivos das presidenciais no Togo em destaque na imprensa

Lomé- Togo (PANA) -- A proclamação, quinta-feira, pelo Tribunal Constitucional dos resultados definitivos das eleições presidenciais confirmando Faure Gnassingbé como vencedor do escrutínio de 4 de Março suscitou diversos comentários na imprensa togolesa, constatou a PANA nos quiosques.
O diário governamental "Togo presse" publicado em Lomé destaca na sua edição de sexta-feira que o chefe de Estado Faure Essozimana Gnassingbé foi "reeleito com êxito na magistratura suprema com 60,88 porcento dos votos".
No mesmo sentido, o semanário "Le Contemporain" pede ao Presidente Gnassingbé que "assuma a sua vitória" e "ande rápido, muito rápido".
Para o "Echos du pays", são as felicitações de França e da União Europeia (UE) que suscitam o entusiasmo.
O jornal saúda as mensagens de felicitação do Presidente francês, Nicolas Sarkozy, e de Manuel Barroso, presidente da Comissão da UE.
Pelo contrário, o bissemanário privado "Le Correcteur" julga "fraudulentos" os resultados proclamados pelo Tribunal Constitucional.
O jornal sublinha que "é o segundo golpe operado por esta instituição pró- Coligação do Povo Togolês, partido no poder, em menos de dois meses", após a "invalidação arbitrária da candidatura de Kofi Yamgnane".
"O Tribunal Constitucional está aquém das expectativas do povo", lamenta por seu turno o diário privado "Liberté" que denuncia a "proclamação de resultados não conformes aos das urnas".
"Foi eleito, assumimos", escreve, por sua vez, "Le Canard indépendant" que se se diz preocupado com o destino que será reservado às populações togolesas.
Para o jornal, é um "outro amanhecer de crispação" da vida política e são "as população várias vezes abusadas até violentadas no final das eleições que vão sofrer disso.
"Um novo quinquénio para Faure", clama por sua vez o diário "Fórum da Semana" que apela ao Presidente eleito para estar à altura dos grandes desafios que o esperam.
Para este jornal, "acima de todo o sentimento jubilatório, cenas de alegria dos militantes do RPT, a hora deve ser consagrada ao trabalho para relançar o país em todos os níveis tanto democrático como económico".
Quinta-feira passada, recorde-se, o Tribunal Constitucional publicou os resultados definitivos das presidenciais de 4 de Março, proclamando Faure Gnassingbé como vitorioso com 60,88 porcento contra 33,93 porcento de Jean-Pierre Fabre, o seu principal adversário.

20 مارس 2010 17:13:00


xhtml CSS