Rei Mouammed VI prossegue visita a lugares sinistrados

Rabat- Marrocos (PANA) -- O rei marroquino Mohammed VI prosseguia a sua visita aos lugares do sismo que abalou a 24 de Fevereiro a costa nordeste do país, ao passo que o fluxo de socorros às vítimas chegava às aldeias mais isoladas.
Seis dias após a catástrofe que fez 572 mortos, as ajudas alimentares e materiais atingiam finalmente, graças aos helicópteros, as populações sinistradas das pequenas aldeias mais longínquas.
O soberano marroquino, instalado desde segunda-feira num campo montado na cidade de Al Hoceima, capital da região na costa mediterrânea, passou uma segunda noite numa grande tenda.
Prosseguiu, no local, as suas actividades oficiais, tendo recebido segunda-feira, o sub-secretário de Estado americano para os Assuntos políticos, Marc Grossman.
Por outro lado, as autoridades marroquinas acabam de publicar o balanço das ajudas até agora distribuídas às vítimas do sismo.
São 13.
500 tentas, 1.
100 toneladas de alimentos, 146 mil mantas, 60 toneladas de medicamentos e 30 toneladas de roupas.
Nabil Benabdallah, o ministro marroquino da Comunicação, revelou à imprensa que estes socorros foram na sua maioria fornecidos por diversas instituições oficiais locais, o resto por marroquinos do interior e do estrangeiro, e, finalmente por países irmãos e amigos.
Númerosos habitantes desconfiados de aldeias preferem ainda passar as noites fora da sua casa, mesmo se os edifícios parecem intactos, receiando as réplicas que possam destruí-los, noticiaram as duas cadeias de televisão marroquinas (públicas).
O rei Mohammed VI deslocava-se domingo a Imzouren, a 20 km a Sul de Al Hoceima, a bordo de uma viatura todo terreno e em companhia de um importante cortejo.
O sismo de Al Hoceima fez 572 mortos, mais de 400 feridos e dezenas de milhares de sem-abrigos na região de Al Hoceima, uma próvincia muito pobre.

03 Março 2004 14:13:00


xhtml CSS