Regresso abortado de Presidente deposto em destaque na Mauritânia

Nouakchott- Mauritânia (PANA) -- O regresso abortado em Nouakchott do Presidente destituído, Sidi Mohamed Ould Cheikh Abdallahi, fez manchete nos jornais mauritanos desta semana.
Com o título "Tempo dos Violadores", o semanário "Le Calame" denuncia as manifestações hostis ao Presidente destituído, enquanto o seu confrade "Points chauds" fala de "no man's land para Sidi Mohamed Ould Cheikh Abdallahi", a propósito do seu regresso na capital.
O jornal descreve as dificuldades impostas a Ould Abdallahi - comitiva parada, revistada minuciosamente, tratada de modo pouco ortodoxo - que o levaram a regressar à sua aldeia de Lemden, situada a 250 quilómetros a sudeste de Nouakchott.
Por sua vez, o diário "Biladi" escolhe a véspera da chegada anunciada de Sidi Mohamed Ould Cheikh Abdallahi a Nouakchott para publicar uma longa entrevista do presidente da União das Forças do Progresso (UFP)- formação membro da frente anti-golpe, Mohamed Ould Maouloud.
O líder da UFP, convencido da fatalidade do "fracasso" do golpe de Estado de 6 de Agosto passado, rejeitou o "esgotamento" do campo oposto ao poder dos generais.

24 Janeiro 2009 13:56:00


xhtml CSS