Rebeldes ivoirienses analisam participação na Comissão Eleitoral

Abidjan- Côte d'Ivoire (PANA) -- As Forças Novas (FN, rebelião ivoiriense) reúnem-se quinta-feira para "analisar meticulosamente" a sua participação na Comissão Eleitoral Independente (CEI) cuja composição é contestada pela oposição nacional.
De acordo com um comunicado das Forças Novas a que a PANA teve acesso segunda-feira, esta decisão segue-se à visita efectuada sábado último ao seu bastião de Bouaké pelo alto representante das Nações Unidas para as eleições na Côte d'Ivoire, António Monteiro, que lhes pediu a revisão da sua posição sobre esta questão eleitoral.
Segundo o mesmo texto, as FN receberam uma delegação das Nações Unidas co-liderada por Monteiro e pelo chefe da Missão das Nações Unidas na Côte d'Ivoire, Pierre Schori, no quadro das suas consultas com os actores da crise ivoiriense para examinar a situação do país.
"Vários pontos foram abordados durante este encontro que analisou o processo de paz em geral e o eleitotal em particular, nomeadamente a questão da criação da Comissão Eleitoral Independente na sua nova formulação", indica o documento.
Na ocasião, António Monteiro convidou as Forças Novas a contribuir para a criação da CEI "através da nomeação dos seus representantes no seio desta estrutura".
As Forças Novas e a oposição ivoiriense protestaram contra as novas leis saídas de Linas Marcoussis incluindo o texto relativo à composição e ao funcionamento da CEI.
Apesar da promulgação destes textos legais pelo chefe de Estado ivoiriense Laurent Gbagbo, a 15 de Julho último, a oposição manteve a sua posição e afirma não se rever nas decisões do Presidente.
Este impasse está entre os desafios do processo eleitoral ivoiriense que Monteiro deve enfrentar.

16 Agosto 2005 17:36:00




xhtml CSS