RDC e Madagáscar querem albergar Cimeira da Francofonia em 2010

Quebeque- Canadá (PANA) -- O Presidente da RD Congo (RDC), Joseph Kabila, e o seu homólogo malgaxe, Marc Ravalomanana, defenderão as candidaturas dos seus países para a organização da Cimeira da Francofonia em 2010 durante a Conferência dos chefes de Estado e de Governo prevista para 18 e 19 de Outubro corrente no Quebeque, no Canadá, soube a PANA de fontes oficiais.
Uma Comisão Técnica de Avaliação liderada pelo conselheiro especial do secretário-geral da Organização Internacional da Francofonia (OIF), Ousmane Paye, deslocou-se recentemente às capitais congolesa, Kinshasa, e malgaxe, Antananarivo, para entregar a ficha técnica de avaliação aos dois países candidatos.
Segundo uma fonte próxima do processo, os Congoleses pretendem sublinhar no Quebeque que nenhuma Cimeira da Francofonia foi realizada na África Central, insistindo no número de francófonos residentes no seu país.
"É um argumento defensável que os Congoleses pretendem evocar.
Para eles, realizar a cimeira na RD Congo seria um acto de solidariedade da família francófona para com o maior país francófono da África Subsariana", sublinhou a mesma fonte.
Segundo a fonte, a candidatura congolesa peca pela ausência de infraestruturas suficientes em Kinshasa, com a prevalência da guerra civil na RD Congo a fazer ainda reinar uma certa insegurança.
"O problema da candidatura congolesa é que vai ser preciso construir, num prazo recorde, um número importante de infraestruturas.
Isto poderá não suscitar o entusiasmo dos países que serão convidados a financiar este projecto", declarou um observador que falava sob anonimato.
Por seu lado, a delegação malgaxe gaba-se a estabilidade do país, garantindo que a vertente infraestruturas de acolhimento já foi inteiramente concluída.
"Madagáscar tem doravante uma grande tradição de organização deste tipo de eventos.
Basta ver o êxito esmagador com qual o país conseguiu organizar os Jogos da Francofonia, a Conferência Ministerial da Francofonia e a Cimeira da Organização dos Países do Oceano Índico", afirmou um membro da delegação malgaxe.
Os chefes de Estado e de Governo presentes no Quebeque teriam de decidir domingo o local e a data da Cimeira da OIF de 2010.
Eles examinarão sábado, primeiro dia da Cimeira, a situação política internacional e a solidariedade entre os países membros da organização.
As questões ambientais serão objecto duma mesa redonda dos chefes de Estado, ao passo que a Língua Francesa dará lugar a um debate, pela primeira vez na história das cimeiras.
Pelo menos 56 dos 68 países membros da OIF participam na Cimeira de Quebeque.

13 Outubro 2008 14:36:00




xhtml CSS