RD Congo chamada a respeitar liberdade de imprensa

Dakar- Senegal (PANA) -- O Comité para a Protecção dos Jornalistas (CPJ) exprime a sua angústia face a uma série de agressões contra os media na República Democrática do Congo (RDC), indica quarta-feira um comunicado da mesma instituição baseada em Nova Iorque, nos Estados Unidos.
Desde Fevereiro último, oito media foram molestados pelas forças de segurança governamentais e um jornalista foi assassinado "num clima de insegurança crescente", indica o CPJ no seu comunicado.
Pediu, para esse respeito, que investigações inteiras sejam levadas a cabo "sem delonga" sobre as entraves ao livre exercício da imprensa no país.
Um jornalista foi "violentamente" agredido sábado em Kisangani, no nordeste da RDC, por ter filmado o cortejo do Presidente Joseph Kabila, de acordo com informações divulgadas pela organização de defesa da imprensa, Jornalista em Perigo (JED).
Numa carta enviada ao Presidente da República, Joseph Kabila, o CPJ exortou as autoridades congolesas a apoiarem a liberdade de imprensa tal como garantida pela constituição nacional e a assegurarem a segurança dos jornalistas, de acordo com o mesmo comunicado.

04 Julho 2007 18:07:00




xhtml CSS