Quénia aplica pesadas sanções contra delinquentes sexuais

Nairobi- Quénia (PANA) -- O Vice-Presidente queniano, Moody Awori, assegurou, domingo, que o Governo vai pôr em aplicação a lei sobre os delitos sexuais a fim de erradicar as violências feitas às mulheres, em súbida no país.
Awori precisou que a lei será doravante mais repressiva para que os autores destas violências recebam a punição que merecem para evitar a reincidência.
O Vice-Presidente falava durante a cerimónia de apresentação do projecto do Hospital para Mulheres e Crianças de Nairobi, duma capacidade de 350 camas, que deverá ser subvencionado pela Fundação James Jordan dos Estados Unidos, por um custo estimado em 25 milhões e 500 mil euros.
Esta fundação, através da sua presidente Delores Jordan, mãe da legenda do basquetebol americano Michael Jordan, apoia igualmente o Hospital para Mulheres de Nairobi, uma estrutura sanitária que trata de mulheres e crianças vítimas de agressão sexual.
Awori deplorou o facto de o Hospital para Mulheres de Nairobi não conseguir fazer face ao forte pedido porque apenas regista 57 camas e instou os quenianos a fazer o primeiro gesto dando generosamente para o novo projecto hospitalar para que várias pessoas possam ser tratadas medicalmente.
"Façam a diferença e ponham termo à cultura de dependência.
Este país tem muito dinheiro e deveríamos iniciar a maior parte dos projectos", sublinhou.
Delores Jordan, que honrou o evento com a sua presença, assegurou as autoridades quenianas do seu apoio, declarando que estará disponível para ajudar os quenianos a fazer a diferença nas suas vidas.

05 Fevereiro 2007 10:29:00


xhtml CSS