Quatro Africanos candidatos ao posto de director-geral da UNESCO

Sirtes- Líbia (PANA) -- Quatro Africanos figuram na lista dos candidatos ao posto de director-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), soube terça-feira a PANA em Sirtes, no centro da Líbia.
Segundo uma nota dirigida aos ministros encarregues das Relações com a UNESCO pelo presidente do Conselho Executivo da organização, Olabiyi Babalola Joseph Yaï, nove candidatos, dos quais quatro mulheres, foram apurados.
O Conselho Executivo da UNESCO fixou a data limite das candidaturas para 31 de Maio passado.
Relativamente a África, o Argelino Mohammed Badjaoui foi o primeiro a apresentar a sua candidatura a 15 de Janeiro passado.
Um pormenor particular é o Cambodja, e não o seu país, que apresentou a candidatura.
O segundo candidato africano é o Egípcio Farouk Hosny.
A sua candidatura, apresentada a 10 de Março de 2009, foi patrocinada pelo seu país, pelo Koweit, pelo Sudão e pela Líbia.
Por sua vez, o Tanzaniano Sospeter Mwijarubi Muhongo, candidatou-se a 30 de Abril passado, sob proposta do seu país.
A 31 de Maio passado, data limite de apresentação das candidaturas, o Benin decidiu inscrever o seu cidadão Nouréini Tidjani Serpos na lista dos candidatos ao posto de director-geral da UNESCO.
Para apresentar a candidatura de Tidjani Serpos, o Presidente beninense ressaltou "as suas qualidades e competências no plano nacional, regional e internacional, bem como o seu domínio do sistema das Nações Unidas".
A eleição do próximo director-geral da UNESCO terá lugar em Novembro próximo, mas antes desta data o Conselho Executivo vai examinar as candidaturas durante uma sessão privada, sublinhou o seu presidente.
Neste sentido, os candidatos à sucessão do Japonês Koishiro Matsuura são convidados, o mais tardar a 1 de Agosto de 2009, a submeter um texto apresentando a sua visão da UNESCO.

01 Julho 2009 09:53:00




xhtml CSS