Qatar encerra várias obras do Mundial de 2022 por desrespeito de normas laborais

Dakar, Senegal (PANA) – Na sequência das numerosas críticas recentes sobre o Qatar, acusando o país que deve organizar o Mundial de futebol de 2022 de desrespeitar as normas internacionais de trabalho, o Ministério do Trabalho e Assuntos Sociais decidiu o encerramento de 40 obras.

Vários jornais, principalmente britânicos, acusaram o Qatar de fazer trabalhar operários de construção oriundos essencialmente do Sri Lanka em condições extremas que provocaram a morte de dezenas de trabalhadores.

Face aos protestos coletivos provocados por estas revelações, as autoridades do Qatar prometeram tomar medidas para melhorar as condições de trabalho nas obras do Mundial de 2022 e em numerosas outras neste país em construção.

Segundo o Ministério do Trabalho e Assuntos Sociais do Qatar, as empresas de construção incriminadas teriam violado a lei nº 16 de 2007 que lhes impõe a suspensão do trabalho nas obras externas das 11 horas e 30 minutos às 15 horas para evitar expor diretamente os trabalhadores aos raios do sol e ao calor extremo deste período do dia.

Esta medida, explicou o Ministério, segue-se a 475 visitas de surpresa efetuadas às obras entre 15 e 30 de junho último.

Ela deverá reconfortar os numerosos apoios exprimidos ultimamente a favor da organização pelo Qatar do Mundial de 2022 e provenientes, sobretudo, dos países do Golfo Pérsico.

-0- PANA CP/JSG/FK/TON 21julho2015

21 Julho 2015 18:07:28




xhtml CSS