Prolongação do mandato do Quénia à frente da IGAD

Addis Abeba- Etiópia (PANA) -- O Quénia continuará a presidir à Autoridade Intergovernamental para o Desenvolvimento (IGAD) até Julho próximo para facilitar a transformação duma missão africana de manutenção da paz numa missão da ONU.
A decisão foi tomada segunda-feira em Addis Abeba durante uma reunião da IGAD organizada à margem da Cimeira Ordinária de dois dias dos chefes de Estado e de Governo da União Africana (UA) que termina terça-feira.
O Quénia controlará igualmente o envio duma força regional de manutenção da paz à Somália.
O ministro queniano dos Negócios Estrangeiros, Raphael Tuju, declarou segunda-feira à PANA que a Etiópia pediu a Presidência em exercício da IGAD, mas o posto lhe foi recusado por problemas de logística.
"Pedir-se-á ao Quénia para fazer uma exposição diante das Nações Unidas sobre a transformação da missão africana numa missão onusina", afirmou o chefe da diplomacia queniana.
Explicou que a prolongação do mandato do seu país se deveu ao facto de estar implicado nas modalidades relativas ao envio das tropas à Somália.
A reunião da IGAD decorreu na presença dos Presidentes ugandês, Yoweri Museveni, sudanês, Omar El-Bashir, e queniano, Mwai Kibaki.
A IGAD lançou um apelo a favor dum desdobramento urgente das tropas da UA e dum apoio rápido e incondicional para consolidar a paz na Somália.
De acordo com o ministro queniano dos Negócios Estrangeiros, a organização regional decidiu igualmente criar um comando independente para a Brigada de Permanência da África Oriental (EASBRIG) após a adopção da decisão pelos ministros da Defesa da sub-região.
O novo comando albergará a EASBIRG, actualmente instalada na sede da IGAD no Djibuti, apesar de alguns membros da EASBIRG como o Ruanda não pertencem à IGAD, declarou o ministro queniano dos Negócios Estrangeiros.

30 Janeiro 2007 10:34:00




xhtml CSS