Processo democrático na Tunísia precisa de ajuda americana, segundo Presidente

Túnis, Tunísia (PANA) – O prosseguimento do processo democrático na Tunísia necessita cada vez mais da ajuda dos Estados Unidos para fazer face à ameaça terrorista, afirmou quinta-feira, em Washington, o Presidente tunisino, Béji Caïd Essebsi.

Depois de sublinhar a necessidade de se chegar a uma solução na Líbia, o chefe de Estado tunisino declarou perante o Instituto norte-americano para a Paz, em Washington, que a maior ameaça de segurança para o seu país provém da situação de insegurança prevalecente na Líbia.

Para além da sua intervenção no Instituto, Essebsi reuniu-se no mesmo dia com o secretário de Estado americano da Defesa, Ashton Carter, para abordar a parceira entre os dois países em matéria de defesa, a situação de segurança na Tunísia e a forma de reforçar a luta contra o terrorismo, segundo um comunicado oficial.

Lembre-se que o Presidente americano, Barack Obama,  prometeu colocar  à disposição da Tunísia, um dos seus principais aliados fora da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), os meios de apoio especial nos domínios militar e de segurança.

Durante uma reunião com o Presidente Essebsi, na Casa Branca, Barack Obama sublinhou a importância da parceria entre os Estados Unidos e a Tunísia nos domínios  da luta contra o terrorismo  e do trabalho para realizar a estabilidade na Líbia, precisando que o objetivo  é pôr termo à ausência de autoridade na Líbia que "influencia a situação na Tunísia".

-0- PANA AD/IN/JSG/FK/IZ 22maio2015

22 Maio 2015 21:10:33


xhtml CSS