Processo contra autoridades senegalesas faz manchete em Dakar

Dakar- Senegal (PANA) -- O processo empreendido por um juiz francês do Tribunal de Evry contra nove personalidades senegalesas, incluindo a ex-primeira-ministra Mame Madior Boye, esteve na primeira página de todos os diários senegaleses nesta semana.
O assunto tratado em quase todos os diários senegaleses está na primeira página do jornal Le Matin que escreve que "Nove mandados de captura lançados contra personalidades senegalesas".
O jornal indica que "a menos de quinze dias do aniversário do drama do Navio Le Joola (navio que até Setembro de 2002, garantia a ligação marítima entre Dakar e Ziguinchor, no sul do Senegal), notam-se novas repercussões sobre este dossier que muitos pensavam encerrado".
Um juiz francês, explica o Le Matin, "emitiu nove mandados de captura internacionais contra altas autoridades senegalesas pela sua presumível responsabilidade pelo naufrágio do Navio Le Joola que causou a morte de cerca de dois mil pessoas, incluindo cidadãos franceses", a 26 de Setembro de 2002 ao largo das costas gambianas.
A decisão do juiz francês, indica por sua vez o jornal L'Observateur, resulta duma instrução aberta por homicídio voluntário e falta de assistência à pessoa em perigo na sequência de uma queixa depositada em Essonne (França) em 2003" pelos advogados das famílias de 22 vítimas francesas.
A Procuradoria de Dakar, recorda o L'Observateur, tinha encerrado o dossier penal estimando que apenas o capitão do navio foi o responsável pela sua superlotação".
O jornal que cita o ministro da Justiça do Senegal, Madické Niang, sustenta que, neste caso, "não existe nenhum elemento probante de responsabilidade que possa permitir empreender um processo penal contra a antiga primeira-ministra e outros ministros da República desta época".
O Walfadjiri quotidien frisa que Wade (Presidente da República do Senegal) se recusa a entregar Mame Madior Boye e o Senegal ameaça processar a França".
O Senegal "não descarta aplicar a lei do Talião contra a França", segundo este jornal que estima que o Senegal "ainda não está pronto para entregar Mame Madior Boye e seus colaboradores e poderá mesmo processar a França por crimes e delitos em que Senegaleses foram vítimas na França".
Por enquanto, o jornal L'As relata que, depois de ter emitido mandados de captura internacionais contra as nove autoridades senegalesas, o juiz francês Jean-Wilfrid Noël, vice-presidente do Tribunal de Evry "contactou a Interpol (Polícia Internacional) para a sua execução", isto apesar das "contestações da Procuradoria de Dakar que propôs uma alternativa a fim de atenuar os problemas".
Este caso, conclui o L'As, incomoda em todos os casos no mais alto ponto a França oficial".

20 Setembro 2008 15:27:00


xhtml CSS