Primeiro-ministro italiano defende integração na Cimeira da UA

Addis Abeba- Etiópia (PANA) -- O ambiente internacional em constante evolução faz com que a integração tanto em África como na Europa se torne menos numa escolha do que numa necessidade, declarou segunda- feira, o primeiro-ministro italiano Romano Prodi aos chefes de Estado reunidos em Addis Abeba.
Dirigindo-se à Oitava Sessão Ordinária da Assembleia da União Africana (UA) como convidado, Prodi indicou que não se tratava apenas de unir forças mas de reagir a ameaças internacionais tais como o terrorismo, a mudança climática e as pandemias.
Ao sublinhar a necessidade para os europeus e os africanos de trabalhar juntos nas questões de interesse comum, o primeiro- ministro italiano declarou que se "trata de aproveitar juntos as oportunidades que a globalização coloca ao nosso alcance".
Prodi evocou o desenvolvimento, as migrações, a ciência, o comércio internacional, a energia e o ambiente como domínios nos quais a cooperação poderá dar mudanças que deverão beneficiar tanto África como a Europa.
"Não é uma coincidência se a ciência, a tecnologia e o ambiente que são as prioridades da agenda desta cimeira constituem igualmente as preocupações actuais da Europa", sublinhou.
Relativamente à inovação, ao ambiente e à energia, o chefe do Governo italiano explicou que as políticas europeias precisam duma forte dimensão exterior que inclua África, pois são fenómenos estreitamente ligados que afectam cada uma das partes e não podem ser limitados a zonas geográficas específicas.
Sobre a construção da paz, declarou que a Europa deve abrir os seus braços ao continente africano e comprometer-se a trabalhar para o desenvolvimento da paz e da prosperidade com uma nova iniciativa baseada num verdadeiro sentido da solidariedade.
"Com este espírito, a Europa deve reflectir sobre o seu passado e as suas responsabilidades", sustentou.
"Não estamos aqui em nome dos nossos respectivos nacionalismos mas em nome da convicção num destino comum que pode permitir-nos acreditar no futuro com optimismo", acrescentou o primeiro- ministro italiano.

30 Janeiro 2007 10:18:00




xhtml CSS