Primeira dama sul-africana advoga contribuição feminina à UA

Pretória- África do Sul (PANA) -- A primeira dama sul-africana, Zanele Mbeki, convidou as mulheres do seu país a participarem activamente na implementação da Nova Parceria para o Desnvolvimento de África (NEPAD) bem como contribuirem para a visão, objectivos e princípios da União Africana (UA).
Zanele Mbeki, que falava quarta-feira na Universidade de Pretória numa conferência sobre o Diálogo entre os sul-africanos, convidou as suas compatriotas a exercerem o seu direito, definindo elas próprias o apoio que poderiam levar para à UA.
"Considera-se que a NEPAD só será coroada de sucesso se for reconhecida pelo povo africano unido na sua diversidade.
Deve por conseguinte ser reconhecida pelas sul-africanas unidas na nossa diversidade", afirmou.
Sublinhou que é necessário para as sul-africanas, enquanto membros essenciais da sociedade civil, definirem o seu papel no seio do processo da UA e escolher entre oporem-se à liderança política ou estabelecerem uma parceria com esta última.
Devemos elaborar o nosso próprio plano de acção com base nas nossas experiências diárias conforme vivemos nas nossas próprias comunidades.
Devemos mostrar o recurso escondido que as mulheres representam e que é minimizado pelos quadros estruturais que os nossos governos adoptam para o desenvolvimento nacional", acrescentou.
A esposa do presidente Mbeki insistiu na importância da promoção da igualdade entre os sexos em todas as actividades da UA, frisando que esta questão é fundamental para se determinar como as mulheres vão chamar a atenção dos parceiros no desenvolvimento quando estes últimos se debruçarem sobre a transformação económica e social, bem como a governação, a paz, a estabilidade e a democracia.
A conferência, na qual participam cerca de 600 delegados que representam as diversas camadas da sociedade sul-africana, bem como ministros, embaixadores e ONG, segue-se à organização bem sucedida de um diálogo de paz entre as sul-africanas e as suas homólogas da República Democrática do Congo (RDC) em Março último.
A primeira dama sul-africana indicou que esta troca com as suas homólogas da RDC havia convencido as sul-africanas a reunirem-se novamente por forma a avaliarem as suas forças, fazerem face aos seus desafios e partitiparem das lutas das mulheres no plano continental.
Esta conferência diz respeito essencialmente às questões cruciais que afectam as sul-africanas, tal como a posição das mulheres no período pós-1994, à necessidade de se encontrar uma visão comum para as sul-africanas para o período pós-2004, bem como à elaboração de um programa de acção para uma visão comum da NEPAD e UA.

02 Julho 2003 18:27:00




xhtml CSS