Pressão internacional intensifica-se sobre Cartum

Cartum- Sudão (PANA) -- No âmbito da pressão internacional sobre Cartum a respeito da crise na região de Darfur, o Secretário- Geral das Nações Unidas, Kofi Annan, bem como o secretário de Estado americano, Colin Powell, visitam separadamente o Sudão terça-feira para avaliar a situação humanitária naquela região do país abalada por conflito armado.
Entretanto, o governo anunciou, na sexta-feira, ter adoptado algumas medidas visando facilitar o movimento dos organismos de ajuda humanitárias na região.
As autoridades de Cartum acolheram favoravelmente a visita de Annan num comunicado, mas não fizeram comentários sobre a de Powell - primeiro alto responsável do governo americano a deslocar-se ao país desde a última breve escala no Sudão em 1978 do ex-secretário de Estado Cyrus Vance.
Annan indicou que o objectivo da sua visita era de se certificar da disposição do governo de Cartum para proteger efectivamente as milhares de pessoas de Darfur e desarmar as milícias árabes acusadas de autoria de múltiplos ataques que causaram mais de 30 mil mortos e cerca de um milhão de pessoas deslocadas.
O governo deve criar um ambiente que possa permitir as pessoas deslocadas regressar às suas famílias respectivas, e comprometer- se muito seriamente com a parte rebelde na perspectiva de um acordo político bem como para negociações, declarou o chefe das Nações Unidas durante uma conferência de imprensa.
Segundo Annan, a comunidade internacional deve preparar-se para intervir caso Cartum não chegue a assegurar esta protecção.
Por seu turno, Powell deverá trazer a Sudão 95 milhões de dólares americanos de ajuda humanitária que o Congresso americano aprovou quinta-feira passada.
De entre outras altas entidades visitaram igualmente o país, nos últimos dias, a vice-ministra italiana dos Negócios Estrangeiros, Margherita Boniver, o seu homólogo da França, Renaud Muselier, o ministro suíço dos Negócios Estrangeiros, Micheline Calmy-Rey, e Carol Bellamy, directora-geral do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).
Esta valsa diplomática coincide com o início da estação das chuvas, que obstruirá certamente o encaminhamento da ajuda na região devido à impraticabilidade das estradas.
Cartum está actualmente sob forte pressões para conter as milícias árabes pro-governamentais acusadas de levar a cabo uma campanha de "limpeza" étnica na região de Darfur.
A semana passada, o Presidente Omar Hassan El-Beshir afirmou que o governo ordenou o Exército a desarmar as milícias árabes "Janjaweed", estabilizar a região e impedir que os combates se estendam ao vizinho Tchad.
O movimento de libertação do Sudão (MLS) e o Movimento para a Justiça e Equidade (MJE) lideram, há 16 meses, a revolta das minorias indígenas Fur, Massalite e Zaghawa de Darfur, que continuam a queixar-se de serem negligenciados e marginalizados pelo governo de Cartum.

28 Junho 2004 13:47:00




xhtml CSS