Presidentes membros do painel da UA sobre crise ivoiriense esperados na Mauritânia

Nouakchott, Mauritânia (PANA) – Os chefes de Estado membros do painel da União Africana (UA) encarregado de encontrar uma solução pacífica para a crise pós-eleitoral na Côte d’Ivoire são aguardados domingo próximo em Nouakchott, soube quinta-feira  a PANA de fontes  seguras.

Este painel, presidido pelo Mauritano Mohamed Ould Abdel Aziz, cujo país assume a presidência do Conselho de Paz e Segurança da UA (CSP/UA), é composto pelos Presidentes sul-africano, Jacob Zuma, burkinabe, Blaise Compaoré, tchadiano, Idriss Deby Itno, e tanzaniano Jakaya Kikwete.

Em Nouakchott, os emissários da UA deverão abordar um relatório preliminar elaborado pelos peritos do CPS/UA que estiveram em Abidjan de 10 a 13 de fevereiro e reuniram-se com todos os protagonistas da crise, bem como com a sociedade civil ivoiriense.

Observadores dizem-se céticos sobre as possibilidades de êxito da missão da UA, apresentada como a « da última oportunidade », após o fracasso das precedentes devido às posições rígidas dos dois campos, o do Presidente cessante, Laurent Gbagbo, e o de Alassane Ouattara, reconhecido vencedor das eleições presidenciais de novembro passado pela comunidade internacional, incluindo a UA.

Para o campo de Ouattara, a missão da UA vem pedir ao Presidente cessante para « ceder pacificamente o poder », enquanto para os apoiantes de Gbagbo, que detém o poder real  em Abidjan num país dividido em duas partes desde 2002, os missionários vão proceder a uma avaliação do processo eleitoral.

Após a segunda volta das eleições presidenciais  a 28 de novembro de 2010, a Comissão Eleitoral Independente (CEI) declarou Alassane Dramane Ouattara vencedor com 54,10 porcento dos sufrágios, mas alegando fraudes o Conselho Constitucional invalidou este resultado e proclamou a vitória de Laurent Gbagbo.

Baseando-se no Acordo Político de Ouagadougou (APO), assinado pelas partes ivoirienses e validado por uma resolução do Conselho de Segurança da ONU, o representante das Nações Unidas (ONU) em Abidjan certificou os resultados divulgados pela CEI, tal como fez para a lista eleitoral e os resultados da primeira volta.

Nesta base, Alassane Ouattara foi reconhecido vencedor das eleições presidenciais pela quase totalidade da comunidade internacional.

-0- PANA SAS/JSG/MAR/TON 17fev2011

17 Fevereiro 2011 11:25:20




xhtml CSS