Presidente tunisino pede participação maciça de africanos na CMSI

Sirtes- Líbia (PANA) -- O Presidente tunisino Zine El Abidine Ben Ali apelou segunda-feira em Sirtes aos africanos para participar em massa e ao mais alto nível na Cimeira Mundial sobre a Sociedade da Informação (CMSI), cuja segunda fase vai decorrer na Tunísia de 16 a 18 de Novembro 2005.
"Contamos com uma participação africana maciça e ao mais alto nível - governo, sociedade civil e sector privado - durante a cimeira de Túnis para afirmarmos o nosso compromisso a favor da acção comum para a instauração duma parceria digital solidária entre todos os países do mundo", sublinhou o chefe de Estado tunisino quando intervinha na sessão de abertura da quinta cimeira ordinária da União Africana (UA) em Sirtes (centro da Líbia).
Ben Ali disse nessa ocasião que "o nosso desejo é que esta cimeira que começámos a preparar desde 1998 possa constituir uma oportunidade propícia à redução do desequilíbrio excessivo no acesso ao saber e no domínio das Tecnologias de Informação e da Comunicação.
Isto constitui uma maneira de "garantir aos povos africanos o aproveitamento destas tecnologias e a sua exploração judiciosa nos seus planos de desenvolvimento", estimou o estadista tunisino que chefia a delegação do seu país à cimeira de Sirtes, cidade natal do guia da Revolução líbia Muamar Kadafi.
Ele indicou igualmente que o seu país pretendia fazer dessa cimeira um marco privilegiado capaz de permitir ao continente africano expor as suas conclusões e expressar as suas aspirações para definir as formas duma cooperação equilibrada entre países do Norte e do Sul em matéria de tecnologias de comunicação.
Neste contexto, o Presidente tunisino congratulou-se com os esforços colectivos envidados na preparação deste encontro, assim como com os resultados obtidos durante as reuniões preparatórias realizadas em Túnis (Tunísia), Genebra (Suíça), Bamako (Mali) e Accra (Gana), desejando que os africanos participem activamente na próxima reunião preparatória prevista para Setembro próximo na capital federal suíça.
O interesse internacional pelas preocupações de África, acrescentou Ben Ali, constitui para a Tunísia o incentivo para trabalhar de maneira acrescida na harmonização dos esforços e na consolidação da acção conjunta para que o continente possa ocupar o lugar que lhe cabe na arena mundial.
A propósito, congratulou-se com a iniciativa do grupo dos oito países mais industrializados do mundo (G-8) a favor do perdão da dívida de alguns países africanos, esperando que esta iniciativa se estenda a outros países para favorecer a sua integração na economia mundial com maior probabilidades de sucesso.
A cimeira de Sirtes arrancou segunda-feira sob a presidência do chefe do Estado Nigeriano, Olusegun Obasanjo, na presença de eminentes personalidades estrangeiras das quais o Secretário-Geral das Nações Unidas, Kofi Annan, o secretário-geral da Liga dos Estados Árabes, Amr Moussa, o Presidente da Autoridade Palestiniana, Mahmoud Abbas, e o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso.

05 Julho 2005 11:49:00




xhtml CSS