Presidente sul-africano critica racismo e divisões de classes

Joanesburgo- África do Sul (PANA) -- O Presidente da África do Sul, Thabo Mbeki, apelou sexta-feira ao fim do desenvolvimento de cidades destinadas exclusivamente aos ricos e aos pobres no país, advertindo que esta prática poderia renascer divisões raciais e de classes da era do apartheid.
Falando no lançamento do projecto residencial "Brickfields" em Joanesburgo, Mbeki lamentou que enquanto o governo tinha erradicado as leis do apartheid, ainda existia uma perpetuação dos padrões de instalação baseando-se em divisões raciais, de género e de classe.
"Sem dúvidas, para perceber as ideias nobres da Carta da Liberdade precisamos de avançar mais rápido na construção de novas cidades onde sejamos capazes de usar a habitação para integrar as nossas comunidades para que não tenhamos mais partes das nossas cidades destinadas exclusivamente aos ricos e aos pobres.
Isto tem que acabar imediatamente", disse Mbeki.
"Para termos êxito nesta tarefa", sublinhou, "temos, entre outros, um desafio urgente de pôr fim a estratégias de desenvolvimento habitacional a favor dos ricos que asseguram que as terras melhores localizadas próximas das melhores instalações estejam sempre disponíveis aos ricos (.
.
.
)", ressaltou.
Brickfields, um complexo residencial para a indústria mineira no século XIX, tornou-se em 1890 numa favela multicultural para imigrantes da Europa, da China, Índia e de África.
Ele tornou-se rapidamente numa força-motriz da luta de libertação na África do Sul, mas foi destruída em 1905 quando africanos foram retirados à força e a área ficou sem interesse.
O líder sul-africano descreveu o projecto residencial de Brickfields de "expressão tangível de como o fenómeno mundial das cidades decadentes do interior podem, através da urbanização sustentável, ser transformadas em bairros pacíficos".

13 août 2005 19:05:00




xhtml CSS