Presidente sudanês promete aceitar resultado de referendo no Sudão Sul

Cartum, Sudão (PANA) - No quadro dos preparativos para o referendo de autodeterminação do  Sudão Sul, o Presidente Omar Al-Bashir deslocou-se terça-feira a Juba, a capital regional, onde  reiterou que iria aceitar o resultado do referendo de 9 de Janeiro, seja ele a favor da unidade ou da seperação.

«  Qualquer que seja a escolha dos sulistas, vamos aceitar e saudar », indicou o Presidente Bashir aos dirigentes da região na cidade de Juba. « Mas demos o bom exemplo aos nossos irmãos africanos, mesmo se devemos separar-nos, fazemo-lo com paz, vamos cooperar para lhes dar o exemplo de como os Estados Unidos de África poderiam ser realizados », declarou.

O Presidente sudanês sublinhou que o seu Governo estava pronto para dar quaisquer espécies de assistência de que o Governo do Sudão Sul poderá necessitar em caso de separação.

« Não vamos sentar-nos numa tenda para choramingar se os sulistas optarem pela separação. Não estaremos contentes, mas seremos os primeiros a celebrar esta escolha com os sulistas », acrescentou.

O Presidente sudanês declarou mais tarde, durante uma reunião com as organizações da sociedade civil de Juba, que os sulistas que estão no norte serão livres de permanecer em segurança no norte e que ninguém vai perder os seus bens e não será maltratado com base no resultado do referendo.

Uma posição similar foi adotada pelo chefe do Governo do Sudão Sul, Salva Kiir Mayardit, que sublinhou que nenhum nortista que vive no sul verá os seus bens confiscados.

O vice-presidente da Comissão para o Referendo no Sudão Sul (SSRC), Chan Ring, afirmou, segundo o diário « Al-Ahdat » de Cartum, terça-feira que os preparativos para o referendo estavam prontos a 100 porcento.

Ring revelou igualmente que o número de eleitores inscritos avizinham quatro milhões com três milhões e 753 mil no sul, 100 mil e 860 no norte e 60 mil e 314 em oito países estrangeiros, cujo maior número  (508 mil 975) está registrado nos Estados Unidos.

O Sudão conta 25 Estados, incluindo 10 no sul. A maior parte dos sulistas vivem no sul, apesar de algumas  centenas de milhares viverem no norte.

Ring revelou igualmente que o Governo do Sudão Sul disponibilizou a sua contribuição de 51 milhões de libras sudanesas (17 milhões de dólares americanos) para o financiamento do referendo mas o Governo de Cartum ainda não deu a sua parte.

Contudo, ele sublinhou que isto não deverá ter um efeito negativo no desenrolamento do referendo que deverá durar sete dias, enquanto a contagem dos votos será feita em cerca de três semanas.

-0- PANA MO/SEG/LSA/TBM/SOC/MAR/TON 05Janeiro2011

05 Janeiro 2011 13:08:29




xhtml CSS