Presidente senegalês pede amnistia fiscal para empresas jornalísticas do país

Dakar, Senegal (PANA) – O Presidente senegalês, Abdoulaye Wade, pediu, neste fim de semana, a suspensão de processos fiscais contra as empresas jornalísticas do país e prometeu fazer aprovar uma lei sobre a matéria, anunciou a Agência de Notícias Senegalesa (APS).

Falando durante um encontro com o órgão executivo do Conselho dos Difusores e Editores da Imprensa do Senegal (CDEPS), o Presidente Wade prometeu interpelar a Assembleia Nacional para aprovar uma amnistia fiscal para as empresas jornalísticas.

«Vou submeter à Assembleia Nacional um projeto de lei da amnistia da dívida fiscal em curso das empresas jornalísticas e o Parlamento vai estatuir sobre esta questão », disse Wade.

«Defendo que a ajuda prometida seja concedida tal como foi votada por respeito pela lei. Se, anualmente, o Estado deve ajudar a imprensa com até 700 miliões de FCFA (cerca de um milhão e 400 mil dólares americanos), é preciso que isso seja feito", sublinhou o Presidente senegalês, acrescentando que o Governo deve respeitar as leis e as promessas.

Por sua vez, o presidente do CDEPS, Madiambal Diagne, qualificou de "satisfatória" a audiência pedida pelos membros da sua instituição ao chefe de Estado para lhe expressar as preocupações prementes das empresas jornalísticas no Senegal.

Ele indicou que o presidente Wade decidiu estudar, com o Governo, « os meios suplementares para ajudar os órgãos de imprensa públicos », nomeadamente a Radiotelevisão Senegalesa (RTS), o diário "Le Soleil" e a Agência de Notícias Senegalesa (APS).

-0- PANA SIL/DIM/DD14agosto2011

14 Agosto 2011 12:20:32




xhtml CSS