Presidente nigeriano insta países africanos a participar ativamente em revolução digital

Abuja, Nigéria (PANA) – O Presidente nigeriano, Goodluck Jonathan, lançou um apelo, em Ndjaména (Tchad), a todos os países africanos  para participarem de forma ativa na revolução digital em curso atualmente no mundo, soube a PANA.

Falando durante uma conferência internacional, terça-feira, sobre as Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC)  na capital tchadiana, Jonathan declarou que, devido ao laço estreito que existe entre a instalação das TIC e o desenvolvimento socioeconómico, a Nigéria e os outros países africanos ganharam muito com a adoção de forma efetiva das novas tecnologias.

O continente e os seus habitantes devem ser atores ativos na revolução digital que se realiza atualmente no mundo, exortou Jonathan, afirmando que "devemos estar, com efeito, na vanguarda desta revolução, criando empresas  de informática e economias baseadas no conhecimento".

Segundo ele, os Governos africanos devem facilitar e apoiar a instalação das infraestruturas das TIC necessárias para conetar os cidadãos africanos entre eles e o resto do mundo.

"Precisamos de educar os nossos cidadãos sobre as TIC para  controlar e poder participar ativamente nesta revolução. Precisamos igualmente de encorajar o desenvolvimento das nossas indústrias nacionais das TIC e de criar empresas capazes de trazer o valor acrescentado nacional, de criar também empregos e de apoiar um crescimento sustentável do Produto Interno Bruto (PIB)”, declarou Goodluck Jonathan.

Para o Presidente Jonathan as TIC implicam necessariamente uma melhoria do comércio nacional, o desenvolvimento da mão-de-obra, a criação de empregos qualificados e bem remunerados, a melhoria da competitividade internacional e o estabelecimento dum setor mais eficaz das Pequenas e Médias Empresas (PME).

Ele defendeu que, para que o seu país possa beneficiar plenamente dessa revolução, o Governo Federal iniciou uma política nacional das TIC e uma estratégia nacional bem como um roteiro e «um princípio diretor » relativo ao conteúdo e à estrutura na indústria das TIC  na Nigéria.

"Estes esforços lançados pelo Governo tiveram como resultado o desenvolvimento dum setor das TIC  que representa 19 porcento do nosso setor dos serviços que contribui com 54 porcento para o nosso PIB. Além disso, o setor das TIC  tem um impacto decisivo sobre as outras áreas da nossa economia nacional, contribuindo assim para um valor acrescentado suplementar de 2,56 porcento", indicou o estadista nigeriano.

Jonathan sublinhou ainda que fora da política de encorajamento e facilitação do desenvolvimento das TIC no país, o seu Governo decidiu também contribuir para aumentar a expansão geográfica das redes  de alta velocidade de larga banda para apoiar o desenvolvimento harmonioso e integrado das economias regionais em África.

"Com  mais de 10 de terabytes de cabos submarinos nas nossas costas, estamos, através duma Comissão Mista Nigéria-Níger, a alargar a capacidade até ao Níger,  numa outra frente. Estamos igualmente a estabelecer um protocolo de entendimento com o Governo tchadiano para interconetar as redes de fibras óticas da Nigéria e do Tchad",, revelou o chefe de Estado nigeriano aos participantes na conferência e convidados em N’Djaména, a capital tchadiana.

-0- PANA SEG/BAD/BEH/IBA/FK/IZ 11set2014

11 Setembro 2014 09:53:53


xhtml CSS