Presidente nigeriano defende acesso de comunidades rurais às NTIC

Túnis- Tunísia (PANA) -- O Presidente de Nigéria e da União Africana, Olusegun Obasanjo, declarou que a Cimeira Mundial sobre a Sociedade da Informação, iniciada quarta-feira em Túnis, deverá marcar o início da esperança para as comunidades rurais.
Falando durante uma sessão plenária, o líder nigeriano afirmou que as comunidades rurais foram as mais desfavorecidas pelo fosso numérico, estimando que elas deverão ser tidas em consideração.
"A cimeira deverá fazer o máximo para marcar o início da esperança para as comunidades que são as mais desfavorecidas na sociedade de informação que está a desenvolver-se", disse o chefe de Estado nigeriano.
Obasanjo apelou aos países desenvolvidos para ajudar os Estados em via de desenvolvimento com financiamento, com perícia técnica e com investimentos acompanhados dum alívio das suas dívidas.
O líder nigeriano sublinhou que os países em via desenvolvimento deverão adoptar a democracia, a boa governação e o Estado de Direito.
"Devemos desdobrar esforços especiais para reforçar as capacidades da maioria dos cidadãos da sociedade informação que está desenvolver- se", declarou Obasanjo.
"As consequências e os custos do fosso numérico não são favoráveis à paz, à segurança e ao desenvolvimento do Planeta", acrescentou, afirmando que África continua engajada no Fundo da Solidariedade Numérica (FSN).
"Como poderemos vencer a guerra contra o terrorismo quando a maioria da população mundial não tem acesso às Novas Tecnologias de Informação e Comunicação (NTIC) que são absolutamente necessárias para assinalar e controlar as actividades suspeitas ?", perguntou o chefe de Estado nigeriano.
A Nigéria concedeu uma contribuição de 500 mil euros ao FSN, criado em 2003 para facilitar o acesso dos países pobres às Novas Tecnologias de Informação e Comunicação a fim de reduzir o fosso numérico entre o Norte e o Sul.

18 Novembro 2005 12:14:00


xhtml CSS