Presidente maliano regressa dos Estados Unidos após morte de peregrinos na Arábia Saudita

Bamako, Mali (PANA)   - O Presidente maliano, Ibrahim Boubacar Keïta, encurtou a sua estada em Nova Iorque, onde participava na 70ª Assembleia Geral das Nações Unidas, por causa da morte de compatriotas seus na debandada, a 24 de setembro último, durante a peregrinação muçulmana na Arábia Saudita, soube a PANA segunda-feira de fonte oficial.

Vários jornais privados malianos anunciaram esta segunda-feira a morte de 50 peregrinos malianos e tantos feridos, enquanto o Governo maliano não forneceu dados até agora.

« Logo que transmitirmos a mensagem do Mali aos países e às nações do mundo, nós regressaremos ao país para partilhar com todo o nosso povo este luto singular », afirmou o Presidente maliano.

Ele pediu a graça de Allah e desejou que todo o povo maliano se una em oração pelo repouso eterno da alma dos desaparecidos.

O Presidente Keïta indicou que, desde o anúncio do incidente mortal, o Governo maliano tomou as medidas de investigação apropriadas a fim de informar os parentes das vítimas.

Em honra das vítimas do incidente, o Governo maliano decretou três dias de luto nacional que teve início a 25 de setembro à meia-noite e termina esta segunda-feira à meia-noite.

O ministro maliano dos Assuntos Religiosos e Culto, Thierno Oumar Hass Diallo, foi enviado à Arábia Saudita para se inteirar da situação dos peregrinos malianos.

A 11 de setembro último, 109 pessoas das quais o predicador maliano El Hadj Issa Sacko, alcunhado « Karamoko Bèfo », morreram no desabamento duma grua de construção nas obras de extensão da grande mesquita na Meca (Arábia Saudita).

-0- PANA GT/IS/FK/TON 28set2015

28 Setembro 2015 16:56:12


xhtml CSS