Presidente ivoiriense minimiza data para presidenciais

Ouagadougou- Burkina Faso (PANA) -- O chefe de Estado ivoiriense, Laurent Gbagbo, exortou, terça-feira, os protagonistas da crise ivoiriense a concentrar-se mais no "volume de trabalho" que resta por fazer em vez de se preocupar com a data para as eleições presidenciais no país.
"Será preciso primeiro corrigir as irregularidades da lista eleitoral provisória, antes de divulgar uma lista definitiva", explicou.
Gbagbo falava à imprensa que o interpelou sobre a data das futuras eleições presidenciais no seu país à sua chegada à capital burkinabe, Ouagadougou, onde ele deve participar, quinta-feira, numa reunião do Quadro Permanente de Concertação (CPC) sobre a crise ivoiriense.
O chefe de Estado ivoiriense precisou que cerca de um milhão 330 mil eleitores "têm um contencioso a nível das listas (provisórias) da Comissão Eleitoral Independente (CEI).
"A minha própria mãe não tem o seu nome nas listas provisórias.
Há mesmo a esposa dum candidato que não encontra igualmente o seu nome", acrescentou o líder ivoiriense com humor, garantindo todavia não estar preocupado "porque o estádio que atingimos nunca o tínhamos atingido antes".
O CPC é um instrumento previsto nos Acordos Políticos de Ouagadougou (APO) elaborados sob o patrocínio do Presidente burkinabe, Blaise Compaoré, para livrar a Côte d'Ivoire da crise em que está mergulhada desde 2002.
Ele reúne regularmente sob a mediação de Blaise Compaoré o líder das Forças Novas (FN, ex-movimento rebelde) e primeiro- ministro ivoiriense, Guillaume Soro, o Presidente Laurent Gbagbo e os responsáveis dos principais partidos da oposição, nomeadamente o ex-Presidente Henri Konan Bédié e o ex- primeiro-ministro Alassane Dramane Ouattara.
Durante a sua estada na capital burkinabe, o chefe de Estado ivoiriense tomará igualmente parte no primeiro colóquio africano sobre o trabalho decente.

03 Dezembro 2009 10:00:00




xhtml CSS