Presidente do senegal defende limitação voluntária de nascimentos

Dakar, Senegal (PANA) -  O Presidente do Senegal, Abdoulaye Wade, apelou terça-feira aos casais para limitar voluntariamente o número dos seus filhos, precisando estar "fora de questão" obrigá-los a fazê-lo.

Falando em Dakar, na cerimónia de abertura da segunda Conferência Internacional sobre  Planeamento Familiar, Wade sublinhou que a questão da limitação dos nascimentos é «controversa», considerando que é preciso explicar melhor as implicações do Planeamento Familiar.

«É preciso dar argumentos económicos, pois o nosso desenvolvimento económico vai menos rápido que o aumento da população. Para sobreviver é bom limitar o número de filhos.  Mas, uma vez mais, digo que se trata de uma decisão voluntária. Não queremos impôr métodos contracetivos. É uma questão de liberdade individual», insistiu o Presidente Wade.

Segundo ele, o planeamento familiar é uma das principais estratégias de luta contra a mortalidade materna, neonatal e infantil.

Anunciou que o Senegal está a criar um programa de formação de mulheres líderes que vão ajudar as grávidas a fazer convenientemente as suas consultas pré-natais e a vacinar os seus filhos.

« Ao consagrar 11 porcento do seu orçamento à Saúde, contra 50 porcento à Educação, o Senegal está  aquém da norma fixada que é de 15 porcento", indicou o Presidente Wade.

Ele afirmou que, a partir de 2012, vai alocar 500 milhões de francos CFA (um euro equivale a 655 francos CFA) aos programas de planeamento familiar para permitir ao seu país alcançar os Objetivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM) fixados até 2015.

-0- PANA COU/AAS/DIM/IZ 30nov2011

30 نوفمبر 2011 16:56:00


xhtml CSS